Cheque especial é o ópio do povo.  
 • Destaques
 • Plantão
 • Top10
 • Imagens
 • Blog

  Guru:
 • Mahatma Melei


  Esportes:
 • Enfiando a Bola



 • Newsletter
 • Anuncie
 • Fale Conosco

 • Timelei em RSS




O glamour, a fama e a fortuna andam de mãos dadas quando o assunto é o mundo das celebridades. Mas só na frente das câmeras. Quando ninguém está olhando, o que rola mesmo é muita falta de vergonha com direito a mão na bunda e sacanagens variadas.

Ser uma celebridade é mais do que poder dizer "já comi geral aqui" ao chegar numa festinha. Também significa ganhar desconto por milhagem em clínicas de cirurgia plástica e esconder aquelas manchas negras do passado anônimo. Seja bem-vindo ao mundo onde os pés andam sobre tapetes vermelhos e os narizes ficam com as bandejas de prata.



A maioria dos famosos são pessoas normais e tão sem talento quanto eu ou você. A grande diferença entre eu e você é que não tive que dar a bunda para estar onde estou e a grande diferença entre você e eles é que você ainda está no mesmo lugar.

Uma parcela mínima realmente possui alguma qualidade artística admirável e não apenas pregas flexíveis. Essa minoria é idolatrada pela grande massa e pode ser orgulhar de nunca ter utilizado o teste do sofá para conseguir subir na vida. Eles dão a bunda simplesmente porque gostam ou para não sofrerem preconceitos perante os colegas de classe quando todos se reúnem para romper o ânus no Reveillon do Faustão.



A vida de uma celebridade é conseguir descontos nos mais diversos estabelecimentos comerciais passando a velha conversa de que "Eu sou famoso e sua empresa pode sair no jornal". Ou seja, o mesmo que a sua tia suburbana faz enchendo o saco do balconista e fingindo cara de fome quando quer um desconto na quitanda.

O glamour é a parte realmente boa de ser reconhecido na rua. Mas é importante ressaltar que, apesar da palavra ser estrangeira, no Brasil ela tem um significado genuinamente tupiniquim: boca livre.

Glamour de país subdesenvolvido é não precisar fazer tocaia sobre o garçom para conseguir um ou dois enroladinhos de camarão e, quem sabe, meia dose de uísque. Você sabe que a fama chegou quando todas as festas parecem um eterno restaurante rodízio e seu copo vem com mais bebida do que gelo.

O preço da fama existe e resulta da união de "gente chata" (uma entidade composta de um ou mais seres, por definição, chatos) com o fenômeno da intimidade instantânea.

Basta pensar em um cenário onde você, por causa de alguma queimada de rosca do destino, se transforma em uma figura pública. Seria natural, então, imaginar que sua repentina fama traria fãs, correto? Acontece que nem toda tiete é igual às ninfetinhas que o Felipe Dylon traça diariamente.

Fãs de verdade são aqueles indivíduos que acham que te conhecem simplesmente porque acompanham sua trajetória de sucesso nas revistas. Fãs de verdade podem ter bafo e doenças de pele esquisitas, mas mesmo assim ficarão tão emocionados ao encontrar seus ídolos que não pensarão duas vezes antes de partir para o abraço. Fãs de verdade são a razão pela qual você evita andar armado.


A fama é uma ilusão que, assim como os efeitos do Chá de Santo Daime, tem começo, meio, fim e uma ressaca pior do que ouvir a Lucélia Santos interpretando a Escrava Isaura dublada em russo.

O fato é que depois do fim, quando a ex-celebridade não aparece nem em coluna social de jornal de bairro, é extremamente difícil voltar a ser assunto para revistas de relevância cultural como Caras e Contigo.

Excetuando, é claro, os casos onde o famoso velho de guerra acaba em situações extremamente constrangedoras ou desesperadas. Seguem alguns exemplos:

. Morte em circunstâncias idiotas;
. Prisão por motivos diversos;
. Tratamento de dependência química;
. Namoro com a Preta Gil.


Existem, no entanto, pessoas que ultrapassam os limites da fama e entram para a posteridade. Elas não aparecem na Sapucaí durante o Carnaval, mas sim nos livros de história e em diversas piadas populares que nascem logo após seu falecimento.

Geralmente são figuras importante que realmente fizeram alguma diferença para a sociedade e inspiram um orgulho passado de geração em geração até o fim dos tempos.

Ou até que alguém invente um boato histórico colocando em dúvida a sexualidade do dito cujo e criando novos ditados populares como "Por trás de um grande homem sempre existe um estranho cheiro de queimado".


Arquivo da seção: Destaques

 Envie este artigo para um amigo:
 Email do amigo:
 

 Seu email:
 

 Mensagem (opcional):
 
 


Chegaram as camisetas do Timelei!



O futuro é agora



Chique é ser rico!


Dangerous
Triste Realidade
Erguei as mãos! O maior truque do Diabo não é fazer todos acreditarem que ele não existe. Também não é a parceria com a Igreja Universal, onde ele ganha uma comissão para aparecer duas vezes por semana (só quando tem gravação para o...
Sessão devedê II
Vende-se raquetes usadas.
Com muita coisa na cabeça
moblog dos cool hunters da revolucaum dos ddos