11.30.2001

Este post teve a colaboração de João Lelo


Eu quero ser um BAD BOY

Umas das coisas que nunca consegui alcançar foi ser um BAD BOY. Aquele cara que é forte pra caralho, mal-educado e grosso quando fala com as pessoas. Pior de tudo é que as mulheres se amarram nesse tipo de homem, mesmo sabendo que serão chifradas, espancadas e depois abandonadas.

Eu pelo contrário sempre fui um NICE BOY ou um GOOD BOY, acho que a culpa foi dos meus pais. Minha mãe é psicóloga e nunca quis me reprimir, mesmo quando na minha infância eu tentava ser um BAD BOY.

- Mãe, quebrei o seu vaso preferido e depois peguei o seu melhor perfume e usei para queimar o sofá da sala.
- Tudo bem meu filho, isso acontece nessa idade. É apenas um jeito de você chamar a atenção. Agora vai brincar que a mamãe está vendo “Barriga de aluguel”. Você é um bom menino!
-Mas eu não quero ser bom menino! Quero ser BAD BOY!

Meu pai é a pessoa mais calma deste mundo e se eu estivesse indo bem no colégio o resto era besteira.

-Pai, roubei as chaves do Monza e bati numa pilastra.
-O QUE! Você tirou 5 em Matemática!
-Não pai, eu bati com seu carro.
-Ha, que susto. Tudo bem meu filho tava no seguro.
-Mas pai eu tenho 10 anos e roubei seu carro.
-Mas você é um bom garoto, Marcelo.
-Não sou! Eu sou um BAD BOY!

Uma vez vi em uma academia os mandamentos de um BAD BOY:

1-Tomar bomba e malhar 4 horas por dia.
2-Tomar muito açaí.
3-Fazer cara de mal, abrindo as narinas e abaixando as sobrancelhas.
4-Ter a boca torta e falar que nem o Stalone
5-Ter um apelido tipo: Gigante, Montanha ou Muralha
6-Chegar nas mulheres puxando pelo braço e dando tapa na cara.

-E aí garota (Splat), me dá um beijinho! (Smack)

Mas estou tendo problemas para cumprir alguns destes mandamentos. Tenho medo de agulha de seringa, sou alérgico a açaí e lá em casa todo mundo me chama de Celinho.

Chegar em mulher puxando pelo braço também não deu certo, tomei vários tapas e xingamentos. Além disso, o Felipe Jabá falou que dar tapa faz mal à cutícula.

Acho que minha sina é mesmo ser um NICE BOY e continuar a escrever em blogs laranjas e jogar Gamão com meu avô.

OBS: Falando em Gamão, alguém sabe jogar essa merda de jogo?

:: Postado por Marcelo Holanda às 14:34


Era uma vez um pequeno reino no sul da Africa. Mas esse não é um reino de conto de fadas. O território da Suazilândia fica entre Moçambique e a Africa do Sul e, segundo a ONU, mais de 25% da população adulta do país é portadora do vírus HIV. Preocupado com a doença, o rei Mswati III reinstituiu o Umchwasho, uma milenar lei do país que proíbe os homens adultos de terem relações sexuais com menores de 18 anos. Os suazilandeses que violarem a restrição serão obrigados a pagar uma uma vaca como multa.
www.2k.com.br

Agora vejam só que estranho mundo é a Suzilândia. As pessoas não só acreditam em sexo à primeira vista, como praticam em níveis patológicos aponto de causar um caos social. A solução foi cobrar uma vaca para quem fizer sexo. Agora tô tentando decorar a seguinte frase em Suziliês:

- Oi! Eu sou turista. Meu nome é Claudio Formiga e vim do Brasil. Por favor, deixe minhas mala no quarto e cuide bem das minhas 100 vacas porque vou precisar.

Difícil mesmo vai ser arrumar grana para trazer as vacas de volta.

O resto da matéria falava que o próprio Rei quebrou a lei, colocando em seu harém uma menina de 17 anos. Existe muita sacanagem no mundo e nunca se lembram de me chamar.

Eu tô desistindo de escrever nesse Blog e tentar ser famoso. Vou dedicar minhas forças em algo mais construtivo. Estou oficialmente fundando hoje um território aqui no meu quarto: Insetolândia - onde o sexo é livre! Apenas mulheres recebem visto de visita com chances de um visto permanente.

Aposto que com minha sorte vou sofrer atentados terroristas dos namorados das minhas turistas.

:: Postado por Claudio Formiga às 02:27


11.29.2001

Uma empresa Americana já é capaz de fazer clones humanos. A técnica utiliza células femininas para fabricar o clone.
O Globo, 26 de novembro de 2001

Adenaílson ajeitou a gola da camisa, olhou para Tatiana ao seu lado, tateou o cinto e se certificou de que a cueca não estava aparecendo antes de entrar na casa da namorada. Fez cara de homem sério enquanto apertava a mão do sogro e cumprimentava educadamente a mãe de sua amada.

- Agora eu sei de onde a Tatiana puxou tanta beleza.

A mãe ficou lisonjeada e, como todas fazem, ofereceu água/chá/café/coca-cola.

- Não, obrigado.

Sorriso ok, postura ok, cueca ainda dentro da calça... Adenaílson estava abafando. Tirando, é claro, o contido pai que ainda pensava algo como "Então é esse o cara que anda comendo a minha filha". Mas, enfim, todos eles fazem isso, não há jeito de evitar.

Sentindo-se dono da situação, já começava a contar piadas e falar mal do chefe que atazanava sua vida no emprego. Jogava charme para todos os lados e cada vez mais conquistava a atenção da mãe. Tatiana olhava tudo e fingia não notar que seu pai vez ou outra fuzilava Adenaílson com um olhar matador. Achou melhor sumir com a faca do patê que acompanhava as torradas.

Sentaram-se à mesa para o almoço. Vendo que as facas disponíveis desapareciam misteriosamente, o pai logo colocou os olhos na colher do mousse de maracujá. O cabo parecia forte e, quem sabe, resistente o suficiente para esfacelar um crânio humano.

Conversa vai, comida vem, bebida entra e, sem querer, o pai solta um pequeno arroto. Perdeu de súbito toda a pose de mau e tentou relaxar, afinal, o garoto era até simpático. Resolveu mostrar que tudo estava bem puxando uma daquelas conversas bobas que acompanham as refeições.

- E essa coisa de clonagem, hein? Que maluquice...
- É mesmo! - respondeu a mãe.
- Já imaginou, tatiana? A gente podia clonar a sua mãe.
- Ah, mas duvido que saísse igualzinha. Teria alguma diferença com certeza.
- Que nada, a ciência é fogo. Até você iria ficar em dúvida entre você e você!

[risos de almoço]

Adenaílson checou se não havia nenhuma alface entre os dentes e começou a rir também. O pai relaxou de vez e continuou.

- Duvido nada que o seu clone também teria essa pinta no seio esquerdo. Tudo igualzinho...

Vendo que finalmente todos estavam à vontade, Adenaílson cometeu o erro de baixar a guarda.

- É aquela pinta redondinha no seio esquerdo? Igual a da Tatiana! Genética é foda, né?

Duas horas depois, na emergência de um grande hospital, o médico residente parece nervoso enquanto fala com o seu superior imediato.

- Nossa, é impressionante a violência do mundo atual. Você nem imagina o estrago que esses bandidos conseguem fazer com uma simples colher de sobremesa.


:: Postado por Felipe Jabá às 10:34


11.28.2001

Uma empresa Americana já é capaz de fazer clones humanos. A técnica utiliza células femininas para fabricar o clone.
O Globo, 26 de novembro de 2001

Esses cientistas estão a cada dia diminuindo as minhas chances de comer alguém. Antigamente a mulher não trabalhava e trocava sexo pelo seu sustento. Com advento do movimento feminista e a emancipação da mulher no mercado de trabalho o papel da mulher mudou (Frase retirada diretamente de uma redação de vestibular!). Agora ela faz sexo para arrumar um emprego ou para satisfazer essa insana vontade feminina de casar e ter filhos.

Bem, nenhuma mulher vai querer me dar para poder escrever neste blog laranja. Só me resta a segunda opção.Mas se a mulher já pode ter filhos sozinha para que ela vai querer dar para mim? Talvez seja culpa dos cientistas americanos esse meu longo período de abstinência que se iniciou no dia que mataram Odete Roitman.

Meu sonho é que mulher nenhuma aprenda o truque de dar dois tapinhas em cima da tampa da conserva de azeitona para abri-la. Assim poderei sempre fazer um escambo sexual pelos meus ótimos serviços.

O que mais me entristece é que essa notícia saiu no dia do aniversário de 90 anos do Mário Lago. Mário Lago, para quem não sabe, é o autor da bela canção Amélia. Amélia que era mulher de verdade. Agüentava tudo, cozinhava, não reclamava e não tinha nenhuma vaidade.É melhor um mundo recheado de Amélias ou um mundo sem sexo e sem árabes?

Acho que prefiro o Mundo de Mário Lago

:: Postado por Claudio Formiga às 00:13


11.27.2001

Sonegando Informação

Sabe quando tiram o dia para te achar guia turístico? Você passeia na rua e vira uma pessoa:
- Sabe aonde fica o Rio Sul?
- Logo ali em frente!
Você anda mais cinqüenta metros, e:
- Por favor, aonde fica a Rua José Leopoldo?
- Anda mais cem metros, primeira à esquerda!
- Obrigado!
Vira o próximo:
- Qual é a cotação do dólar hoje?
- 2,56 R$.
- Obrigado!
Já o outro:
- Qual é a raiz quadrada de 169?
- 13!
E por aí, vai! Você é o homem. Sabe tudo, salva todo mundo! Só que quando você precisa...Você entra no seu carro, e lembra que tem que ir para o Méier. Mas não tem nem idéia de qual direção tomar. Pára na primeira pessoa no ponto de ônibus, e:
- Por favor, como eu faço para ir pro Méier?
- Iiihh! Tá loonnge! Segue reto, que chega lá!
Meia hora depois, você está numa rua sem saída. Vai em uma banca de jornal:
- O Méier fica pra onde?
- Iiihh, cara! Era para o outro lado!
Isso que dá. Você ajuda as pessoas, para chegar um sujeito e fazer com que gaste mais de 30 pratas de gasolina e meia hora do seu tempo. A próxima pessoa que te perguntar algo:
- Por favor, cascadura é aqui perto?
- É sim, veja só: ipanema, copacabana, cascadura! Tá pertinho!!!! E pensa: (um dia, quem sabe, você chega lá!!!).


:: Postado por Rodrigo Nobre às 00:53


11.26.2001

Ontem voltei da minha excursão na terra dos bandeirantes, onde tentei carimbar o passaporte para dentro da "Casa dos Artistas". Não consegui muita coisa, tive de voltar, mas também pouco importa agora que a Nana Gouveia foi escolhida para sair. Sabe como é, eu acho que ela seria a única que aceitaria minhas surradas notas de 10 reais.

Pois bem, mantive meu orgulho loser inabalável e voltei de cabeça erguida para minha amada cidade natal. "Minha alma canta, vejo o Rio de Janeiro". Cantava feliz saindo da Dutra, pegando a Linha Vermelha e, finalmente, a Linha Amarela.

Eu sei que entre nossos 10 leitores alguns são de outros estados, portanto seria bom explicar essas coisas de linhas coloridas. É simples, no Rio temos a Linha Vermelha e a Amarela, que fazem parte de todo um complexo rodoviário multicor. Falta costruir a Linha Verde, a Roxa, a Azul Turquesa, a Rosa Bebê e várias outras vias expressas super básicas e in. Até hoje acho que tudo isso saiu da cabeça do renomado carnavalesco Joãozinho Trinta, que pretende criar um arco-íris rodoviário fabuloso e esplendoroso. Ui!

Finda a baitolagem, atingimos Linha Amarela e descobri surpreso que o pedágio agora custa R$2,69. É sério, você olha para o cabalístico número e fica pensando em sexo. Tudo foi cuidadosamente planejado para que os motoristas abram aquele sorriso maroto cheio de boas lembranças e esqueçam que o preço aumentou sem razão aparente.

Eu mesmo quase fui enganado. Os de mente mais fraca continuam viajando e, sorrindo, desenbolsam quase três reais. Eu, por outro lado, me concentrei e parei de imaginar as habilidades lingüisticas e a fluência verbal da Fernanda Lima. Então pude finalmente olhar para o preço do pedágio afixado na placa.

2,69

O sorriso maroto quase abriu de novo, a Fernada Lima quis voltar. Não deixei, me mantive sensato e falei com sabedoria quando me aproximava da cabine do pedágio.

- É, alguém está prestes a ser fudido.

:: Postado por Felipe Jabá às 14:28


11.24.2001

Greve é um saco, fico em casa 23 horas por dia, a hora que sobra levo Chiquito (para quem não sabe ele é meu grande amigo e macaco imaginário) para visitar museus e galerias de artes. Chiquito é um daqueles macacos que curte filme europeu e fuma cigarro em pepita.

Esses grevistas são muito malandros, já repararam que eles só marcam Assembléias uma vez por semana, assim só perdem um dia de praia na semana. Além disso, será que precisam de tantas assembléias para decidir se aceitam a proposta do governo ou não? E por que tudo tem que ser votado, até mesmo quem vai no banheiro primeiro?

Um amigo meu contou como são essas Assembléias, são mais ou menos assim:


Assembléia Geral, dia: 07/10/01

Pres. do Sindicato: "Vamos agora votar quem é a favor de voltarmos ao trabalho"

Grevista: "Espera aí, não vai rolar um cafezinho antes?"

Pres.: "É que tem um grupo que prefere chá, por isso não servimos nenhum dos dois."

Grev: "Vamos ter que discutir isso melhor..."


Assembléia do Café ou Chá, dia: 14/10/01

Pres.: "Bem já ouvimos ambas as partes, bebedores de café e de chá, vamos então entrar em votação. A favor do café."
-EU!
-EU!
-EU!
-EU!...

Pres.: "A favor do chá"
-eu

Pres.: "Então foi votado que na próxima assembléia será servido café"

Assembléia com cafezinho, dia: 21/10/01

Pres.: "Bem companheiros já vimos a proposta do governo e teremos que votar a favor ou contra"

Grevista: "Espera, antes queria saber dos companheiros se a palavra "EXCESSO",escrito na proposta, é mesmo com dois SS?"

Assembléia Ortográfica, dia: 28/10/01

Pres.: "Dada a explicação do professor de português da 1ª séria, vamos votar. Quem acha que é com dois SS?"
-EU!
-EU!
-EU!
-EU!...

Pres.:" Com um S?"
-eu

Pres.:" Foi decidido que realmente se escreve com dois SS. Bem, já que o sol está muito forte, deixaremos para votar a proposta do governo semana que vem. Obrigado pela participação de todos.
Não esperem, mais outra coisa antes de irem embora! Alguém vai passar de carro pela praia da Barra?"

E assim se encerra mais um mês de negociações.



:: Postado por Marcelo Holanda às 17:32


11.23.2001

Fui para São Paulo e tentei entrar na "Casa dos Artistas", queria falar com o Silvio Santos para ganhar uma vaga nessa mordomia toda. Simples assim.

Mal entrei e já esbarrei com o Alexandre Frota.

- Quem é você, brother?
- Eu me chamo Felipe Jabá.
- Hum, ah sim, o famoso Felipe Jabá!!!
- Você me conhece?
- Claro, você é meu ídolo.
- Como pode ser isso? Pelo que eu saiba aqui nessa casa vocês nâo podem acessar internet e tal...
- Ah, brother, eu simplesmente te conheço. Pô, você pode me fazer o favor de ir lá fora e comprar o jornal de hoje, 10 bisnagas e uns aminoácidos?

"Tá bom, você pode ir para a Casa dos Artistas, mas lembre-se de levar camisinha e, acima de tudo, não confie em nada do que o Alexandre Frota disser. Ele é muito traiçoeiro, só vai querer usar você.", foi o que minha mãe disse antes de eu partir do Rio de Janeiro.

Confiei na sabedoria materna, despachei o Frota. "Nem rola cara, tenho de encontrar o Seu Silvio". Entrei na casa. Lá dentro estava o Supla sentado no sofá.

- Fala, maluco.
- E aí, papito. Quem é você?
- Jabá, Felipe Jabá. Sou um fã seu.
- Maneiro, depois compra meu cd.
- Tá tranqüilo. Viu o Silvio por aí?

Nessa hora entrou a Núbia Ólive na sala. Claro que eu estranhei.

- Núbia? Mas você não saiu do programa nesse domingo?
- Pô, brother, eu voltei. Aliás, aproveita que eu voltei e vai lá fora comprar o jornal de hoje, 10 bisnagas e uns aminoácidos para mim, por favor.
- Frota? É você disfarçado de Núbia?
- Porra...

Estava me sentindo o próprio Scobby Doo quando tira a máscara do fantasma e descobre que o culpado não é o Ruivo Hering. Então chega a Nana Gouveia, infelizmente, completamente vestida.

- Pô Nana, você anda peladona em todos os programas. Por que essa roupa toda?
- Cansei de acharem que eu sou bonita e burra. Decidi andar vestida e mostrar que também tenho cérebro que nem o Frota...
- Hum, deixa eu ver se adivinho, você decidiu isso hoje, exatamente no dia em que eu chego aqui. Estou certo?
- É, como você sabe?
- Digamos que essas coisas costumam acontecer comigo, mas a explicação é meio longa e eu não sei se você iria entender no final de tudo, então deixa pra lá.

Finalmente apareceu o Silvio, saindo do banheiro.

- Oi, Silvio!
- Oi, bro... querido telespectador. O que você faz aqui?
- Queria ganhar uma vaguinha nessa casa, dá para ser?
- Pode sim, mas antes vai lá fora e compra o jornal de hoje, 10 bisnagas e...

"Desista, Alexandre Frota, você não vai conseguir comprar o jornal de hoje!"

A voz saiu do outro lado da sala. Virei e encontrei o Silvio, o verdadeiro. Fui lá falar com ele enquanto o Frota ia para o quarto contrariado. "Pô, brother, quase consegui dessa vez".

- Oi, Silvio. Maior figura esse Alexandre frota, né? O cara parece o Cebolinha da Turma da Mônica, cheio de planos infalíveis...
- Ele é um rapaz simpático. Mas quem é você? Como entrou aqui?
- Sou o Felipe Jabá, eu pulei o muro.
- Pulou o muro?! Isso não é seqüestro não, né?
- Não, imagina. Eu só quero uma vaga no programa.
- Ok, mas você sabe que na Casa dos Artistas só entra artista. O que você fez de artístico para merecer um lugar aqui?
- Fiz nada ainda, mas eu poderia ficar artisticamente nu em alguma revista. Parece que isso funcionou com a Nana.
- Sim, você pode posar pelado. Mas quem vai querer comprar a revista?
- Eu não tinha pensado nisso... Parece que meu plano tem um furo.
- Pois é, você está pior do que o Frota.

:: Postado por Felipe Jabá às 00:16


Sofrendo no Self Service

Self-service é a maior enganação que existe. Você lê: 1,79 R$ - com churrasco, mas não percebe que seu prato irá custar no mínimo 8,00 R$, e isso se você comer igual a um passarinho.

Já disposto a gastar um dinheiro, você pede um saleiro e um paliteiro. “Fiiilho da puta!” enquanto dá porradas no saleiro. Esse está todo entupido! Me dá o outro aí garçon. Já no outro, você dá logo uma porrada no fundo achando que está entupido também. Parece até piada: “Puta que pariiiuuu!” E a comida já era!

Perceberam que esses paliteiros só tem palitos sem ponta? O que eu vou cavucar com essa porra? Não quero construir uma casa não, eu quero é tirar comida entre os dentes.

Foda é quando todo mundo termina de comer ao mesmo tempo. Todos ficam tirando craca dos dentes, e botando a mão esquerda na frente da boca, para ninguém ver. Será que ninguém está vendo que o sujeito está cavucando os dentes? Por que não faz isso em casa? Ou no banheiro?

Agora, a nova onda entre os self -service’s, é o: se deixar comida no prato paga mais 1,50 R$. Eu acho que os caras já estão viajando. Outro dia estava num restaurante que a comida era intragável. Levei o prato para a balança:
- Pode pesar aí!
- Mas o quê, senhor!? Essa comida já foi pesada!
- Ué, se sobrar comida no prato não tem que pagar? E quando ela está ruim? Tira 100 gramas que é o que eu devo Ter comido e me devolve o resto! Quero meu dinheiro de volta!

Ainda tive que esperar e perder mais tempo dando entrevista para a Globo. Só assim consegui meu dinheiro de volta.



:: Postado por Rodrigo Nobre às 00:14


11.22.2001

Acordei muito mal hoje. A garganta pegando fogo e com uma febre de lascar. Esses dias são perfeitos para você ficar olhando por teto, suando como um porco e pensando na vida..

Fiquei pensando na minha vida de derrotado. E as causas de eu ser um derrotado. Lembrei que alguém tinha comentado a minha semelhança com Gil Gomes, na foto da revista "Caras". Acho que tenho uma cara comum. Por toda minha existência aconteceram comentários do tipo:

"Pô tu parece com um amigo meu!"

"Tu é igual ao meu sobrinho!"

Esse é o infortúnio de ter uma cara comum. Você acha que tá abafando. Muda o penteado, faz cara de mau e sai pela rua encarando todo mundo, até que um vira e fala:

"Tu é igual ao cara que engravidou a minha irmã e sumiu..."

Tem o lance do nome também. Uma vez estava folheando um livro intitulado "1000 nomes com significados para nenéns" (Estava interessado em ver qual tipo de literatura dessa gente que transa...) e estava lá:

Renato - Aquele que renasce!
Gabriel - O Mensageiro de Deus!
Claudio - O manco!

Tanto significado maneiro e o meu tinha que ser "O manco". Não podia ser "Aquele que transa na hora que quer, com a mulher que quer!" ?

Por isso que eu não como ninguém. Qual é a mulher que vai querer ficar com um capenga com um rosto comum? Meus amigos falam de mim paras as amigas deles:

"Vou te apresentar o Formiga. Ele é coxo, tem a cara comum, mas é um cara legal!"

Ser legal. Isso também é fogo. Mulher não gosta de cara legal. Mulher gosta de cara canalha, homem que coça o saco quando é apresentado pros pais da namorada.

"Esse aqui é meu Pai, Marquinhos!"
"Opa! Prazer." [Retira a mão do saco e aperta a mão do coroa] "Pode ficar tranqüilo que eu sempre lavo ele antes de sair de casa"

E tem essa também. O Diminutivo. Todos esses caras que são chamados pelo nome no diminutivo pegam mulher pra caramba. Marquinhos, Rogerinho, Pedrinho, Bruninho....

É por isso tudo que eu sou um perdedor. Como o coxo, da cara normal, de apelido Formigão quer pegar alguém sendo um sujeito legal?

E a minha febre ainda não passou......

:: Postado por Claudio Formiga às 00:39


11.21.2001

Ficar em casa de tarde nos dias de semana é uma coisa muito estranha. Você não tem muito o que fazer por causa da greve nas faculdades e acaba assistindo a uns filmes esquisitos na sessão da tarde, começa a acompanhar as fofocas do Leão e descobre que "Malhação" é pior do que você imaginava.

Chato mesmo é quando as pessoas perguntam o que você faz. Poderia muito bem responder que estou em pleno retiro espiritual, ou então que passo meus dias escrevendo para um blog e um site, mas sinto que é melhor dizer "estou de bobeira".

- O que você faz?
- Ah, eu tenho um jornal, um blog e um site.
- Porra, tu é muito inútil, hein?

Não disse?

Mas a falta do que fazer é agradável. Você descobre mil maneiras diferentes de coçar o saco, além de desenvolver a incrível habilidade de focar o visão em um ponto da parede e deixar a mente viajar até uma gloriosa terra cheia de suecas peitudas.

Se a matéria no "O Dia" tivesse saído corretamente, agora eu já seria famoso e poderia dizer que passo por um período de "reclusão criativa", e todos iriam esperar calmamente até que, num dado momento, eu aparecesse para o mundo com algo genial. Mas enquanto a fama e fortuna correm de mim, eu continuo apenas sendo um inútil que tirou o dia para ver o Disk MTV.

Aliás, faz tempo que eu não via o Disk MTV. Já havia até esquecido como aquela apresentadora é bonita. Também vi o Michael Jackson e o seu novo clipe, onde ele finge que não é pedófilo, finge que ainda tem nariz e, mais do que tudo, finge que é um "American Ninja" baixando o sarrafo no meio de um bar.

Enfim, enrolei até aqui só para falar do clipe da Shakira. O que é aquilo? Ela rebola, faz biquinho, abusa da dança do ventre, se arrasta na lama e... ah, acho que já deu para entender a gravidade do negócio. Essa é uma mulher que eu ofereceria 10 reais com o maior prazer.

Caralho, que post inútil. Eu juro que escrevo algo útil na próxima. Sei lá, quem sabe alguns pensamentos e filosofias sobre a "Casa dos Artistas". Porque alguma coisa sensata tem de ser dita sobre um lugar onde a pessoa mais articulada e cheia de planos é o Alexandre Frota...

:: Postado por Felipe Jabá às 00:21


11.20.2001

Dedicado as lindas meninas do Clube da Lulu



Como meu amigo, Felipe Jabá, comentou, nosso endereço na matéria do Jornal O Dia saiu errado e nós perdemos a chance de aumentar para 10 o número de leitores desse Blog Laranja.

Enquanto isso, volto a escrever para vocês, meus 5 fiéis leitores. Eu sei que o nosso dia vai chegar. Um belo dia um grande produtor de Tv vai enxergar o nosso potencial e finalmente vamos ter nosso próprio programa de TV.

O programa vai ser sor loiras suecas peitudas correndo para cima e para baixo de biquíni. E no final, vai ter a parte dramtica, O Teste de Loser. Vamos filmar um amigo loser tomando toco de uma mulher e exibir para milhões de pessoas em todo Brasil, para ele se sentir como nós nos sentimos todo sábado a noite.

Porque eu quero ser famoso. Quero ser convidado para sentar no trono da Ilha de Caras. Deve ser bacana o banheiro de lá. Tábua acolchoada, música ambiente e ar refrigerado. Prometo não roubar nada de lá. Afinal, já estou comprando o exclusivo faqueiro de Caras, para assinantes.

E quando me chamarem para fazer aqueles quadros babacas do programa de Domingo, contando toda minha história, mostrando minhas fotos de crianças e depoimentos dos vizinhos aqui da rua, vou lembrar de vocês 5. Vou chamá-los para a festa de lançamento do nosso programa de Tv, e quando vocês encontrarem o Felipe Jabá recebendo os Vips, na entrada da festa, corram até ele e falem:

-Ô babaca, não agüentei todos aqueles 5 anos de histórias ridículas por nada! Passa os 10 reais para cá.

E quando tudo isso acontecer. Quando a fama chegar, o programa for um sucesso e o Faustão me chamar de "Monstro do humor brasileiro", talvez eu encontre alguma loira sueca peituda querendo dar pra mim.

Ou não.

:: Postado por Claudio Formiga às 00:57


11.19.2001


Raspadinha do Rio

Já viram como aquele cara, da Raspadinha do Rio é uma mala? Me desculpem os nossos leitores de outros estados que não devem saber do que estou falando (aliás, vocês são uns privilegiados), mas aquele queima-rosca tinha que entrar na chibata!

- Ih! Você fez um ace, criatura!

Que raiva! Nêgo faz uma propaganda de raspadinha, e o cara tá tomando bola nas costas. O imbecil que inventou esse comercial deve ser algum croquete. E enquanto isso o cara está lá, de 5 em 15 minutos:

- Ih! Você fez um ace, criatura!

Que saudade de quando a raspadinha era bem dada! Ou melhor, bem feita! Por apenas 1 real você saía satisfeito, sabendo que ainda poderia sair com um carro. Hoje em dia é só o:

- Ih! Você fez um ace, criatura!

Eu, e todos do Rio, faríamos um ace se acertássemos a sua cara! A sua e a da sua mulher, criadora de bambi’s em extinção. Nada contra croquetes, mas não precisa ficar impregnando e repetindo a toda hora igual a uma gazela:

- Ih! Você fez um ace, criatura!

E eu já estou pegando essa mania.


:: Postado por Rodrigo Nobre às 22:22


Ontem foi um dia marcante na minha vida. Depois de tanto trabalho, anos de esforço e mais de 100.000 piadas infames, finalmente o talento dos Timeleis foi reconhecido pela mídia. O jornal "O Dia" estampou na última página do "Caderno D" uma matéria citando esse blog que vos fala.

Está bem, foi apenas um parágrafo. Sim, a foto era mínima. Pior, a foto saiu errada. Argh, o endereço também está errado. Mas, enfim, subimos o primeiro degrau para a fama. Como diria alguém que um dia chegou na lua e realmente foi famoso, "Esta matéria seria um passo ridículo para qualquer homem, mas para um Timelei já é bom demais".

Esse fato só vem confirmar o que eu havia dito no post anterior. O Grande L não perdoa. Ai de quem não acreditar nas sábias palavras de Murphy, o profeta loser: Se alguma coisa pode dar errado, acredite, vai dar errado.

Pelo menos já posso carregar um recorte no bolso e usar onde ele é necessário, na eterna busca pelo sexo (está bem, tenhamos humildade, contato f'ísico com o sexo oposto já seria suficiente).

- Oi, qual é o seu nome?
- Vanessa.
- Eu sou Felipe Jabá, conhece?
- Não... Deveria?
- Acho que sim, pois eu sei sapatear, cantar, fazer truques com baralho e...
- e...
- Tcha-rám... Escrevo nesse blog que saiu no jornal!!!
- Onde?
- Aqui ó, nessa fotinho aqui no canto...
- Ah tá. Mas, hum, e daí?
- Sei lá, rola sexo?
- Não.
- Poxa, se você quiser eu tenho 10 reais aqui no bolso...

Bem, quem sabe no dia que sairmos no "O Globo", ou participarmos da "Casa dos Artistas", eu terei mais sorte e não precisarei ficar gastando 10 reais todo fim de semana.

P.S.: Obrigado ao CLUBE DA LULU (http://clubedalulu.weblogger.com.br), que também saiu na matéria do "O Dia" e nos deu uma força colocando nosso endereço certo no ar. Visitem a página delas, olhem tudo direitinho e depois cliquem no link correto para voltar correndo para cá.

:: Postado por Felipe Jabá às 01:07


11.18.2001

Hoje eu abri o jornal e vi que os commandos americanos estão quase capturando o Bin Landen. Porra, eu também digo que estou quase arrumando uma mulher para ter sexo e isso já digo fazem uns 6 anos no mínimo...
Mas pelo menos para o caso dos americanos, a solução é mais fácil. Só estão empregando o método errado.

Putz, a idéia de se colocar meia dúzia de Rambos e Braddocks pra buscar 3 caras barbudos em 123 cavernas é quase tão inteligente quanto as cantadas que os timeleis mandam em sua incessante busca de sexo.
Se eu fosse o bucha do Bush eu pegaria umas 8 playmates peitudas e mandaria para o meio do deserto lá no Afeganistão.

Afinal, uma porrada de nego enfiado em uma caverna no meio do deserto sem mulher alguma? Só uma espécie é
capaz de viver assim por longos períodos de tempo, os timeleis.

Com essas gostosas dando mole no desertão, duvido que esses caras não aparecessem. Até eu pegaria um avião e iria lá me juntar aos barbudões de Allah!

Pronto, mais uma solução prática timelei para os problemas da conjuntura mundial atual. Desde que o problema
não seja sexo, que isso fiquem bem claro.

:: Postado por Marcus Roriz às 17:21



Outro dia tive um sonho em que eu dava uns amassos na Fernanda Lima. Ela fazia um strip enquanto eu babava deitado na cama, quando estava só de calcinha e sutiã me chamou e me deu um abraço bem apertado. De repente senti que algo me arranhando nas costas.

-Poxa Nandinha. Acho que tá na hora de cortar as unhas.

Mas ela respondeu com uma voz masculina e horripilante:

-O Freddy vai te pegar!

Quando olhei para o rosto dela, já não era mais ela. Era o Feddy Krueger. Empurrei ele no chão.

- Porra Fred, tu tá de sacanagem comigo! Logo quando tava rolando um clima entre eu e a Nanda, você aparece e estraga tudo.

-Mas eu vim para te matar!

-Me matar! Agora! Onde você estava ontem quando sonhei com o Faustão cheio de chamego com a Fafy Siqueira, enquanto eu era um eunuco que abanava os dois. Tentei me matar, para sair deste pesadelo!

-Bem, eu tive que ir ao Afeganistão tentar achar o sonho do Bin Laden. Estão oferecendo 5 milhões
por ele.

-Fred, você não entende! Eu sou um Timelei, a última vez que um de nós transou, a Madonna ainda era virgem. Sonhar é o a única esperança que nos sobrou.

-Sério! Até eu que sou um psicopata, deformado, doente mental, careca e que usa a mesma roupa sem lavar, desde meu primeiro filme, pego varias mulheres.

-Ahahahah! Só nos seus sonhos Freddy!

-No meu não, nos delas.

-Sério dá para pegar mulher em sonho?

-Claro, elas dão mole para qualquer um.

-Até para mim?

-É, acho que até para você.

Cheguei mais perto dele e abri aquele sorriso maroto:

-Poxa, Fred. Me leva com você nos sonhos de loirinhas peitudas? Por favor.

-Holanda, não dá para te levar. Aliás, eu vim aqui para te matar.

-Pode matar, mas antes vamos dá um pulinho no sonho da Feiticeira. Que tal?

-Porra Holanda! Tu é chato mesmo, cala boca para eu te matar.

-Só se me levar no sonho da Sandy.

-Caralho! Sabe de uma coisa. Você merece sofrer, por isso vou deixar você continuar a viver essa sua vida de celibato.

-Não, Freddy! Tudo menos isso! Eu não agüento mais ficar escrevendo em blog e vendo minha tartaruga ter uma vida sexual mais ativa que a minha.

-Que pena, mas essa será a sua sina! Adeus, Holanda.

Freddy evaporou no ar e sumiu.

E eu continuo a minha vida "none-sex" e rezando para ter de novo aquele sonho com o Faustão.

P.S.: Eu sou mais o Jason!

:: Postado por Marcelo Holanda às 13:02


Quem nunca foi traído por um amigo, que feche a primeira janela do Browser!

No começo tudo corre bem. Todo mundo se respeita, não existe intimidade e ninguém arrisca pedir 1 Real emprestado para tomar uma Coca Light. Limitam-se a conversar sobre o que deu na televisão no dia anterior ou o último prédio que caiu em Nova York.

Os problemas só começam quando ele ta sem dinheiro e você se oferece a pagar umas 2 cervejas no bar, afinal vocês são amigos!

E 2 cervejas viram 10. E quando você menos espera, já estão conversando sobre como Fernanda, sua irmã mais nova, é chata e como você está apaixonado pela aquela menina da faculdade.

Agora ele já freqüenta sua casa: almoça pelo menos uma vez por semana lá, tem toalha e escova de dentes. Fax xixi de porta aberta e já chama sua irmã de "Nandinha". Vocês já estão se apresentando pras meninas como "irmãos" ou "primos" e algumas até ligam pro seu celular procurando ele.

Mas você começa a namorar. Sem problema, vocês se afastam um pouco. Saem de vez em quando os 3 juntos. Sua namorada se amarra nele, ele nela. Ela nem fica irritada quando você sai com ele, sem ela. E quando você briga com ela, ele está sempre por perto para oferecer um ombro amigo e umas baranguetes para você catar.

E um belo dia você enche o saco dela. Terminam, e você volta para aquela vida mundana de cerveja, noitada e vômito às 5 da manhã na privada. E, num belo dia, quando você está andando pelo shopping com sua irmã, eles dois passam de mãos dadas.

Você fica puto e começa a falar para sua irmã como ele foi safado de ter feito isso. Ela tenta te acalmar, soltando um monte de baboseira do tipo "Mas não tem nada haver, vocês já terminaram." Aquilo só vai te deixando mais fulo por não entender porque a Nandinha defende tanto ele. É quando você descobre que ele já catou várias vezes sua irmã.

Por isso eu gosto de ser um Timelei. Não pegamos ninguém e por isso não corremos o risco de "cobiçar a mulher do próximo". Amizade e namoro são coisas muito complicadas para perdedores como nós entendermos, porque envolvem dinheiro e sexo e coisas assim, sempre são Fodas.


:: Postado por Claudio Formiga às 00:55


11.16.2001

Uma coisa que infelizmente não sai de moda é o Grande L.

Vocês podem não saber, mas o Grande L é a explicação mais plausível que nós timeleis encontramos enquanto debatíamos as situações absurdas que sempre nos perseguem.

Poderia muito bem ser o Grande P de perdedor, mas como ele é uma energia universal, um espectro de azar que paira sobre toda a humanidade, preferimos usar o L de loser para globalizar o conceito.

Existem pessoas que possuem uma estranha afinidade astral e cármica com essa energia superior. Basta você, querido(a) loser amigo(a), acordar num dia de sol e pensar "Nossa, como estou feliz hoje" para selar o seu destino. É batata! A incontrolável força destruidora vai te caçar o dia todo, acabar com essa sensação besta de ter levantado com o pé direito, e no fim do dia, quando você já voltou ao seu estado normal de perdedor, as palavras sagradas ecoarão na sua cabeça.

- É mano, eu avisei, a casa caiu procê...

É por isso que você não vê nenhum Timelei dizendo que a vida está boa. Afinal, nós somos experientes e reclamamos constantemente da sorte para manter o Grande L o mais longe possível. Ou seja, se por acaso você estiver comendo a Fernanda Lima, a Scheila Carvalho e ganhando muito dinheiro, tenha piedade de si mesmo e esconda essa alegria toda. Não pronuncie a palavra feliz e sempre finja estar sentindo alguma dor. Ao andar na rua, seja discreto.

- Oi, Felipe Jabá, tudo bem?
- Não, tá tudo péssimo.

Agindo assim, você manterá sua felicidade. É óbvio que não será possível tirar onda com ninguém contando sua maravilhosa vida, mas esse é o preço de se viver sob a sombra do L.

Você pode ignorar meus conselhos e tentar agir normalmente. Pois bem, desafie a energia imortal e agüente as conseqüências. Saiba que a bobina da caixa registradora vai acabar logo na sua vez, o ingresso do cinema esgotar quando você chegar e, entre muitas outras coisas, o namorado dela sempre vai estar esperando no banheiro.

Ficou com medo? A idéia é essa mesmo. Se quiser saber mais sobre as agruras de sempre se fuder no final das contas, converse com cada um dos Timeleis. Pois não vamos ficar contando nossas histórias altamente escrotas nesse blog (até porque laranja não é uma cor que combine com textos do tipo "hoje fui ao supermercado e comprei banana. Tomei toco de uma loira na rua e prendi o dedo na porta do carro").

E, mais do que tudo, saiba que os perdedores são pessoas muito unidas. Afinal, a única coisa legal de estar sempre junto de alguém tão azarado como você é poder contar suas histórias e, invariavelmente, ouvir algo reconfortante como:

- Você acha isso ruim? É porque tu ainda não sabe o que aconteceu comigo ontem...

:: Postado por Felipe Jabá às 00:16


11.15.2001

As vezes, a vida pode ser uma merda. E a pessoa que você mais ama e confia, pisa na bola. Mas só o verdadeiro amor permite o perdão. E foi assim que aconteceu quando eu descobri que meu cachorro fumava maconha.

Outro dia, eu estava sentado, olhando para ele. Ele estava no fundo do quintal, paradão, olhando para mim com uns olhos vermelhos e vazios. Então, eu pensei alto:

"Acho que esse cachorro é meio mongol!"

E do nada, ele levantou a orelha, depois o fucinho, olhou para mim e falou:

- Mongol? Eu? Eu estou aqui a 7 anos e nunca vi você com uma mulher! 7 anos eu aqui, esperando uma perna macia e raspada com "epilady" para eu ficar roçando e você não traz nada. Aquela merda de boneca inflável, que você ganhou quando tinha 18 anos, não me aguentou 5 minutos. Olha o seu tamanho? Quanto tempo mais você vai aguentar essa vida de celibato? Aposto que todos os seus amigos tão comendo alguém. E você ainda me chama de mongol?

Olhei sério para ele. Por uns 5 minutos. Durante esse tempo, ficamos só nos estudando. Um encarando o outro. Até que ele não aguentou e falou de novo:

- O que foi?

- Biriba, você tá fumando maconha,não tá?

- Como você sabe?

- Porra! Pra um cachorro começar a falar com um humano, ele tem que estar doidão!

- Pô, foi mal. Tô meio deprê. Acho que é a idade. Eu não queria falar aquelas coisas para você. Desculpa.

- Nada haver. Eu também não devia ter chamado você de mongol.

- Ah...Deixa pra lá. Tem seda ai?

- Poxa, Biriba, você sabe que eu sou careta.

- Então me leva para passear no bar, que eu te pago umas cervejas.

:: Postado por Claudio Formiga às 17:38


11.14.2001

Notaram que estamos no meio de uma onda de posts sobre coisas velhas? Repararam também que tudo isso um dia já foi moda? Sim, não adianta mentir, se você tem uma certa idade com certeza já cantou "Não se reprima" com os Menudos.

Indo mais fundo ainda, com certeza você tem algum tio que realmente achava Tony Manero - o personagem rebolativo e esquisitão do John Travolta em "Embalos de sábado à noite" - um cara maneiro (notem que essas piadas com trocadilhos infames também estão fora de moda).

As coisas ficam o tempo todo indo e voltando. O funk é assim, a calça boca de sino também (aliás, meu pai se casou vestindo uma e mesmo assim parecia feliz na foto tirada no fim da cerimônia... impressionante).

Admite logo, você já gostou de MC Hammer (Can't touch this!) e achou o Michael Jackson algo mais do que um bicho estranho e sem nariz.

Eu também sofro com essa coisa toda de moda, afinal, ainda não aprendi a dançar forró direito. Até poderia conseguir, basta me esforçar um pouco e ter algum saco para tentar. O problema é que tenho certeza absoluta de que assim que me tornar um exímio forrozeiro, essa onda será passado.

Aí vou ter de fazer outro esforço para aprender algo novo, como a Polca Universitária ou o Tango Pé-de-Serra.

:: Postado por Felipe Jabá às 12:25


11.13.2001


Esses caras não parecem àqueles figurantes do Chaves em Acapulco?

Calma, querido leitor esses não somos nós timeleis e o Fausto. Continuamos ainda escrevendo no nosso blog laranja e comendo ninguém.

Já que nosso ilustre amigo de blog Marcus Roriz começou uma sessão retrô de bandas toscas, trazendo às nossas lembranças o famoso grupo Locomia, puxo do fundo do poço: os Gipsy Kings.

Eu nunca soube na verdade se eles eram ciganos ou não, mas devem ter jogado alguma maldição ou mal olhado em todas as pessoas que compram os seus cds, porque o som é muito ruim. Só faziam sucesso porque tocavam violão em velocidade da luz, isso era sinistro, parecia que a mão deles ia se desprender do braço. Outra coisa que ajudou, é que eles conseguiam rodar o violão 360º graus na barriga, isso deveria aparecer junto com o circo chinês no Fantástico. Acho que faziam esse lance de malabarismo para deixar a platéia acordada.

Daqui a pouco você vai parar o carro no sinal e vai ter um moleque fazendo malabarismo com 3 bolas, o Locomia com seus leques gigantes, os Gipsy Kings rodando violão na barriga e o Marcos Frota apresentando todo esse show.

Que merda!

:: Postado por Marcelo Holanda às 22:58


- Eu sou você, amanhã!

- Mas tio, isso não é de outro comercial?

- Claro meu filho. Mas cai como um avião em Nova York para você!

- Como assim?

- Veja bem. Eu sou velho, bebo um refrigerante laranja e vivo tomando toco. Você é novo, escreve em um blog laranja e vive tomando toco! Eu sou o seu futuro!

- Não pode ser verdade. Eu acredito em sexo à primeira vista. Eu quero transar antes que os árabes conquistem o mundo e troquem todos os Mac Donald´s por Habib´s!

- Eu também acredito em sexo à primeira vista. Mas você tem que entender, para existir caras como Paulo Zulu ou Roberto Justus, devem existir pessoas como eu e você.

- Nossa, Tio! Aonde você aprendeu isso tudo?

- A vida ensina. Eu tomo toco antes mesmo de inventarem a palavra toco. Já tomei toco de todo tipo de mulher, de todas as classes e todas as cores. Já tomei toco de casada, solteiras e desequilibradas, de mulheres confusas, de guerra e de paz.

- Caramba, tio! Você não quer escrever no meu blog?

- Nem. Pelo menos eu ainda fico perto de mulher gostosa. Quer um gole de Sukita?

- Nem. Sukita me dá gases.....


:: Postado por Claudio Formiga às 00:22


11.12.2021

Já que depois dos bigodes mais fodões do mundo, o assunto é a indústria fonográfica do fim dos 80 e início dos 90, tenho que expressar a minha alegria por não mais ouvir falar de seres como Beto Barbosa, Kaomae Locomia.

Beto Barbosa era o máximo, o cara usava uma roupa esporte fino branca, sapatilha e chapéu de palha e era acompanhado de um casal de dançarinos que trajavam roupas provavelmente compradas em algum brechó do Havaí.

Já o Kaoma era a versão "girl band" de toda essa toscaria. Quem nunca se achou fodão dançando aquela música dos caras: " Chorando se foi...."

Porém, nada me havia preparado para a mais fodassa mistura de toscaria, breguice e criatividade de toda a história recente da humanidade, o grupo latino Locomia.

Para os felizardos que não se lembram, eram 6 jovens mancebos latinos; cada um trajando a mesma roupa de toureiro. Só que cada um com uma cor diferente, amarelo, um azul, outro verde...Os caras pareciam uns PowerRangers. Mas o toque de classe daquilo tudo era que cada um deles tinham um leque gigante! Isso mesmo, um LEQUE GIGANTE! E enquanto um deles tentava cantar, o resto ficava fazendo malabarismos com os leques. E o pior de tudo é que eu achava aquilo muito foda. Mas o melhor de tudo é que acabei de achar todas as músicas do Locomia no AudioGalaxy...só falta eu comprar os leques e passar a treinar as manobras nos sinais de trânsito pra ver se ganho uma graninha.

:: Postado por Marcus Roriz às 23:13


----- Original Message -----
From: Renata Rocha
To:
Sent: Thursday, November 08, 2022 3:54 PM
Subject: Tamanho importa sim!

> Claro que importa!
>
> Imagina se não importa. Só não do jeito que vocês pensam.
>
> Beijos
>
> Nat


Querida Nat,

Fiquei assustado com esse seu e-mail. Espero que o tamanho que importe seja a de coleção de selos bolivianos ou a de número de vezes que vi Forrest Gump. Agora me explica essa sua declaração "só não do jeito que vocês pensam". Como assim?
Vou tentar explicar para vocês (mulheres, gays e meu amigo Felipe Jabá) a relação do homem com seu pênis: o membro funciona como o poder moderador. Enquanto o cérebro faz e executa as leis, o pênis funciona como a anti-razão. A mulher pode ser a namorada do seu melhor amigo, estar bêbada, jogada num canto precisando de ajuda, mas se ela der mole, o pênis, ao contrário, vai dar duro. Ele é como um amigão: está sempre lá, você às vezes o mete (literalmente) em cada buraco sinistro, mas mesmo assim ele não te abandona. Tudo bem que ele pode te deixar na mão algumas vezes, mas isso é outra história.

Quanto à questão do tamanho, prefiro não mais tocar nesse assunto, em respeito ao meu amigo Claudio Formiga.

:: Postado por Nilo Maia às 17:16


11.11.2022

From: Marcos Rodrigues
To: Felipe Jabá ([email protected])
Subject: FUNK

Hehehehe, acho que me lembro de Stevie B e Trinere...eram presença constante nos discos antigos da Furacão 2000...Stevie B é aquela versão importada do Latino, né?
Não, não sou funkeiro, mas quando moleque eu ouvia de tudo, de Hermeto Paschoal a Napalm Death, aí com o tempo filtrei o que achava melhor.

[]s

Marcos Rodrigues

Pelo que eu me lembro do Stevie B, ele é um gordinho que fica tocando teclado enquanto outro cara canta "Just like the wind". Já o Latino... Bem, eu não sei definir o que é aquele negócio com um bigodinho dançando e cantando "Oh, baby me leva".

Sem contar também que o Stevie B é bem mais antigo que o Latino e teve a decência de não tentar fazer um programa na televisão. Se é que alguém realmente assistia "Funk Total", aquela grande atração que nosso amigo do bigodinho apresentava.

Vejam bem, quando fala de bigodinho, me refiro aos pêlos estranhos e desgrenhados que ele carrega (ou carregava, não sei se ele caiu em si e raspou o negócio). Uso o diminutivo até porque essa imitação de penugem facial (também muito comum nos rostos daqueles cafetões bolivianos que povoam os filmes da madrugada da Bandeirantes e SBT) não pode ser comparada aos invejáveis bigodes verdadeiros. Afinal, gente como Charles Bronson, Chuck Norris e Magnum está muito além do Latino. Eles ostentam com propriedade suas piaçavas faciais, conseguem todas as mulheres e ainda matam vários bandidos. E, se preciso fosse, também fariam um sacrifício cantando "Oh baby me leva".

Como já disse em posts anteriores, não é qualquer um que agüenta usar um bigode. Uma barba então, pior ainda. Até por isso temos que respeitar o Hermeto Paschoal, um barbudo de responsa.


:: Postado por Felipe Jabá às 22:03



O TITS Timelei Institute of Technology and Stuff) adverte: ir ao dentista causa perda de tempo e hemorróidas.

Mesmo escovando os dentes de manhã, de tarde, de noite, após as refeições, após cada banho e após cada mijada. Só não escovo após sexo, não por falta de minha escova, mas sim por falta de mulher. A minha boca continua cheia de obturações e se preparando para as temidas pontes. Pois eu descobri os verdadeiros culpados por isso: os nossos médicos.

Este complô começa na sua primeira visita ao pediatra. Após quase vomitar mostrando a língua, sentir aquele geladinho do estetoscópio nas costas (sem trocadilhos) e mostrar cheio de vergonha o seu piu-piu, o pediatra te trás uma recompensa por ter sido um bom menino: uma inocente balinha.

Você vai crescendo e também o número de diferentes médicos. Cada um com sua própria recompensa. O ortopedista te dá uma barra de chocolate branco, o cardiologista te dá balinhas de "coração", o otorrino... o ornitorrin... o otorrinolagosta... (Ah, aquele médico de nariz, ouvido e garganta) te dá uma balinha de menta e o urologista te dá um chocolate em bastão.

Mas o "cabeça" dessa máfia é o dentista. Ele faz várias obturações, aplica flúor e te ensinar pela milésima vez como se escova os dentes, depois te dá aquele pirulito roxo, que você sempre come com um pedaço de plástico da embalagem. E ainda te avisa para comer menos doce.

Por isso, de hoje em diante só aceito dinheiro ou vale-transporte por ser um bom menino. E ainda deixo uma pergunta no ar para nossos leitores:
"Será que os dentistas trabalham em conjunto com os vendedores de balinhas dos ônibus?"

:: Postado por Marcelo Holanda às 12:06


11.10.2022

22 anos atrás, em uma maternidade improvisada no bairro de Coelho Neto, nascia Jean Jacques Mondriant da Silva. O bebê de 2,750 quilos e belos olhos verdes chorou quando o médico deu a tradicional palmada.

Muita coisa mudou desde então. Coelho Neto agora tem metrô, o Brasil é pentacampeão, o Timelei blog ficou laranja. Tudo está diferente. Menos Jean Jacques, que continua sem saber porquê se chama assim. Azar do destino, afinal seus pais morreram muito cedo e não deu tempo de explicar nada.

Foi morar com a avó esclerosada, que delirava e volta e meia pensava que tinha uma neta chamada Janaína. Ou seja, ele tinha tudo para ser o viadinho que todo mundo no colégio pensava assim que ouvia o nome Jean Jacques pela primeira vez. Mas nem havia muito tempo para as zoações, porque já no segundo dia todas as meninas da sala queriam saber mais do garoto de nome estranho.

É assim até hoje. 22 anos, 1,85 metro, 80 quilos e os velhos olhos verdes. O pegador do colégio, o passador de rodo, o exterminador, Jean "máquina" Jacques acabou seguindo o caminho mais fácil na vida e se tornou um gigolô.

Ele até poderia estar bem de vida e muito longe de Coelho Neto se não fosse um probleminha: J.J. Mondriant da Silva é um gigolô que não sabe cobrar.

Poderíamos culpar sua boa índole e toda essa coisa de ser Atleta de Cristo nos domingos. Na verdade, ele se lembra bem de simpatizar bastante com a barangada ainda na época do colégio. Hoje, roda desinibido com madames, peitos caídos e pelancas variadas, mas na hora de cobrar acaba ficando tímido, travado. No seu inconsciente, ele pensa ser essa sua missão, dar prazer para as mal amadas, as feias e desdentadas. Mas sua fome e a falta de dinheiro são bem conscientes. Então, confuso, na hora de cobrar ele acaba falando alguma merda como:

- Me dê quanto o seu coração mandar...

Jean Jacques fala isso sorrindo e depois volta para casa com 10 reais e um vale transporte no bolso.

Se não fosse por Dona Maricota Saint James, senhora de coração generoso e marido bilhardário, ele já teria passado fome com essa história de trabalhar de graça. Ela sempre lhe pagava com 10 notas de cem reais, e até por isso J.J. gostava muito dela e daquelas fantasias esquisitas.

- Vem aqui meu tigrão fofucho! Vem com a sua dominatrix Barbarella! Me chama de Jane Fonda! Me chama de Sônia Braga! "Gabriela, sempre gabriela..."!

Ele até tomou umas aulas de cobrança de dívidas com um cafetão, mas não surtiu muito efeito. Então teve de se resignar, esquecer aquela bobeira de "pague quanto o coração mandar" e aceitar a dura realidade de um gigolô que não sabe cobrar.

- Deixa o dinheiro do cafezinho, por favor...

Até a avó esclerosada acha que Jean Jacques Mondriant da Silva deveria mudar de profissão.

- Essa coisa da minha neta ser puta não funciona. A Janaína com certeza daria uma ótima flanelinha. Ela é muito educada, seria o orgulho da categoria.

:: Postado por Felipe Jabá às 11:04


11.8.2022

Andando pelas ruas do Rio de Janeiro, descobri uma faixa da Furacão 2000 anunciando um show do Stevie B.

Quem lembra do Stevie B?

Muito antes do Bonde do Tigrão ou de qualquer outra toscaria, ele já existia. Conheci numa dessas épocas aonde o funk fica na moda. Eu era moleque e a onda era a boate Circus, em são Conrado. Aliás, era uma merda, mas depois eu falo disso.

Eu nunca fui exatamente funkeiro (afinal, eu tenho um passado negro, mas não cheguei assim tão fundo no poço), mas tive um amigo que era. Se fosse hoje em dia, diria que ele era um funkeiro de raiz, gostava mesmo daquele troço. Ele me fazia ouvir umas fitas cassetes do Stevie B e da Trinere.

Alguém além de mim sabe quem é Trinere?

Mas, voltando, a Circus era uma bela merda. Tocava funk, tinha briga de bondinho, entupia de gente e tudo terminava com o "banho de espuma". Na verdade era um detergente muito do safado, que fazia arder os olhos e embrulhava o estômago. Mas, enfim, a pista de dança ficava coberta por uns 3 metros de espuma que possibilitavam altas sacanagens pela falta de visibilidade.

E, claro, um dia acabei indo na Circus para ver do que se tratava a sacanagem na espuma. Como as coisas para um timelei são sempre mais bizarras do que o habitual, além do funk, do detergente e das toscarias, encontrei um pivete querendo roubar meu relógio dentro da boate. Foi meio ridículo, eu estava tomando um ar perto da montanha de espuma e vi dois olhinhos se abrindo no meio daquela massa branca.
Quando finalmente notei que eles estavam fixos em mim, um molequinho de um metro e meio (na verdade, eu é que devia ter essa altura na época. Agora acho que pivete era um anão de 1,30 metro) saiu correndo do meio da espuma como uma marmota no cio e ficou tentando puxar meu relógio.

Sem força para arrebentar a pulseira, ele ficou olhando feito imbecil para mim e correu - do mesmo jeito que veio - de volta para a espuma depois de tomar um pescotapa bem dado.

Desse post, tirei duas conclusões:

1) Você sabe que está ficando velho quando começa a falar de Stevie B, Trinere e da época em que ainda se ouvia música em fita cassete.

2) Afinal, como é uma marmota no cio?

:: Postado por Felipe Jabá às 14:08


11.7.2022

"Se Cristo estivesse aqui agora, há uma coisa que ele não seria: Cristão."
( Mark Twain )

Eu e os outros timeleis sempre nos consideramos pessoas de fé, afinal, acreditamos em sexo à primeira vista, em suecas peitudas e claro, em Deus. Apesar dele ter esquecido de nós em algum ponto da nossa vida. Até que um dia, nós acabamos indo nos confessar na paróquia da Igreja de São Judas Tadeu, o santo das causas
impossíveis...


Padre: O que vos aflige, meus filhos? Podeis contar-me seus pecados.

- Pô Padre, na verdade a gente veio mais é pra dizer que na verdade não pecamos . Aquele lance de tentação carnal não rola muito com a gente. Quer dizer até rola, mas só ficamos nisso mesmo.

Padre: Quer dizer que vocês fizeram voto de castidade?! Quereis seguir sua vocação religiosa?

- Na verdade a gente não tava muito pensando nisso não, a gente só não faz sexo e pronto. E parece que vamos
continuar assim por muuiittto tempo...

Padre: E quando às palavras de Deus:" Crescei e multiplicai-vos" ??

- Xii Padre, sei lá, eu acho que naquela época não haviam os timeleis e tão pouco blogs laranjas.

Padre: Minha nossa...SAIAM DESTE TEMPLO DE DEUS PECADORES!! SE NÃO SEGUIS OS PRINCÍPIOS DE DEUS NÃO PERTENCEIS A SEU REBANHO!

[timeleis saindo cabisbaixos da ingreja]

Formiga: Aê, agora fudeu, não temos nem suecas peitudas e ainda fomos abandonados pelo cara lá de cima.

Marcus: Pô Formiga, será que não rola nem um " Perdoai-os senhor, eles não sabem o que não fazem?"

Jaba: Pô pessoal, eu tava fazendo umas pesquisas pra um post e eu soube de uma coisa que pode significar a salvação da nossa alma e da nossa...auto-estima, por assim dizer.

Todos: O que é?! Conta porra!

Jaba: Po, eu soube que na religião muçulmana, aquele que morrer como herói acaba indo para o reino de Allah, e lá ele se encontra com 72 virgens e tal.

[corre corre pra mesquita]

Sheik: Olá filhos, o que desejam?

Holanda: Aí, é sério esse lance de 72 virgens para quem morrer heroí ?

Formiga: Isso ae. Sério e tals?

Sheik: Sim jovens, mas só para quem morrer muçulmano e como herói.

E assim, os timeleis se tornaram muçulmanos, só iam em festas muçulmanas, passaram a escrever os posts em árabe e sempre barangavam em nome de Allah; deixaram a barba crescer. E acima de tudo, continuavam a nem imaginar como seria uma vida sexualmente ativa.

Mas isso não era problema, afinal, no reino de Allah havia 72 virgens esperando por eles. E ao chegarem, todos ao final de suas vidas, resolveram morrer juntos, para que ninguém morresse primeiro e pegassa as virgens mais gatinhas. Logo, acabaram se reunindo, bebendo 4 litros de Ki-Suco sabor Corante kl-5 e oviram todos os cd´s do Nelson Ned. Resultado, todos mortos.

[No Reino de Allah]

E assim, os losers do blog laranja haviam chegado ao seu destino, num eterno jardim, com um grande lago, pássaros cantando, coelinhos pulando...

Holanda: Porra, mas cadê as virgens? Coelinho pulando é o caralho!

Marcus: Pô, vamos perguntar praquele velinho de turbante que tá lá encostado naquela pedra.

Jaba: Oi, com licença, o senhor pode me dizer onde estão as mulheres? É que acabamos de chegar e tal.

Ancião- Finalmente vocês chegaram! Elas já estavam ficando impacientes! Venham comigo....

Formiga: Aê, Foda! Foda! Finalmente vamos comer umas mulheres gatinhas, mesmo que seja depois de morto!

E os timeleis foram todos alegres, pulando de alegria como o coelinho anteriormente citado. Até que eles olham 23 velhas, caídassas e baranguíssimas...

Holanda: Que porra é essa velho?? Só tem 23 barangas velhacas por aqui! Cadê as virgens porra? Tu quer levar porrada?

Ancião- Meus jovens, me admira vocês, muçulmanos não saberem das leis do livro sagrado. Aquele que morrer terá no céu 72 virgens a sua espera. Neste caso, vocês foram os primeiros dos 72 virgens...



:: Postado por Marcus Roriz às 21:57


A Kaiser é uma grande cerveja! A Kaiser é uma grande cerveja! A Kaiser é uma grande cerveja... Ninguém pode negar!

Fui convidado pra tomar uma cerveja com meus caros amigos Murilo e Eduardo. Sugeri que fossemos ao "Mosca" um belo e sujo boteco ao lado do Rio Sul, mas eles preferiram ir no bar de um tal "Madureira"...

E pra piorar os babacas só tomavam Kaiser. Fiquei puto e fui logo descordando e pedindo uma Gim-Tônica. Papo vai, papo vem, os dois me contando a vida banal que levam como sexy-simbol e atores nacionalmete famosos e eu falando das minhas desaventuras e as emoções de escrever em um blog laranja, quando uma linda morena aparece.

Logo, os dois começaram a puxar a garrafa de Kaiser prum lado e pro outro e a mulher ficava dançado entre os dois, sem saber o que fazer. Essa foi uma das cenas mais dantescas que já vi. Cheguei perto da Morena e perguntei se ela queria um gole de Gim Tônica. Foi o Bastante pra morena sair do bar.

Em seguida, surge uma loira. Os dois ficaram desenrolando com a mulher, que quando notou minha presença, saiu fora.

E assim foi a noite toda. Quando a mulher via que eles estavam comigo, arrumava uma desculpa pra ir embora. Isso deixou os galães goblais putos:

- Porra Formiga! Sai Fora! Você espanta todas as mulheres!

- É meu estigma de perdedor!

- Bem que eu falei, Eduardo! Sair com Timelei não dá certo. Vamos embora daqui.

Depois deles saírem do bar, peguei meu celular e fiz uma ligação:

- Trabalho feito, pode vir.

Meia hora depois, estava eu e o Baixinho da Kaiser bebendo umas cervejas:

- Pô, valeu Formiga! Tô te devendo essa!

- Então me explica como você, baixinho desse jeito e com bigode de mascote do Vasco, pegava tantas mulheres gostosas naquela época?

- Rapaz, o lance é embebedar as mulheres, não viu isso? Tu dá Kaiser pra elas, e elas ficam com um anão que nem eu. Tu dá Brahama e elas beijam até tartaruga. Tu dá Antartica e elas transam até com pinguim desfarçado de gente.

Tô pagando cachaça pra mulherada toda!

:: Postado por Claudio Formiga às 00:17



"Sempre desconfie de tartarugas que usam sobre-tudo"
Paulo Coelho

Na semana passada um homem ficou famoso porque a sua galinha, que virou canja, tinha engolido um diamante.

Agora ele deve estar num cruzeiro pelo mundo com várias mulheres que gostam muito de fazer sexo,deve estar comendo lagosta e escrevendo um livro sobre a sua vida intitulado: "A vida é tão fácil".

Enquanto eu, estou em casa com a mesma cueca há 3 dias, comendo Miojo de Repolho e escrevendo textos para um blog laranja intitulado: "TIMELEI!".

O pior de tudo isso é que eu olho pro meu cachorro e penso: "Cachorro idiota, só sabe comer ração e cocô. Cadê o meu diamante? Eu também tenho o direito de participar de orgias e de sacanear as outras pessoas com meu AUDI TT. A vida é tão injusta".

Mas não vou desistir tão facilmente, vou agora mesmo comprar um cágado. Dizem que esses bichos comem de tudo. Mas não precisam comer de tudo, basta comer um diamante ou uma esmeralda. Tanto faz, não sou muito ganancioso.

:: Postado por Marcelo Holanda às 00:15


11.6.2022

Coisas que eu não entendo nas mulheres

Eu já tentei. Juro que tentei de tudo para entender as mulheres, esses seres que amamos e que só vão ao banheiro em dupla. Como não faço sexo ( e pesquisa social é coisa de gente que não faz sexo) estudei durante o último mês o comportamento delas. Segue o diálogo:

- Oi, amiga! ( Mulher cisma em chamar a outra de amiga)
- Tudo bem? Você tem um prendedor de cabelo aí? ( Sempre estão perdendo prendedores de cabelo)
- Nem tenho. Aliás, meu cabelo está uma inhaca. ( não achei no dicionário uma tradução, alguém sabe?)
- Nossa, você viu que o Marquinhos tem uma bunda bonitinha? ( Para que diabos uma mulher usaria a bunda de um homem? E elas estão sempre olhando e comentando)
- Vi sim! Que vontade de dar umas mordidinhas! ( Ah, está explicado)
- A Vaca da Kátia já deu pra ele, vadia! ( falar mal das outras: ponto máximo no diálogo feminino)
- Nem me fale. Só porque ele tem um Audi ( elas sempre acabam levando para o lado financeiro).
- É mesmo, mas deixa para lá. Essa semana eu engordei muito. Estou uma baleia. ( Mulheres sempre acham que têm que perder uns 2 quilos. Todas! E sempre 2 quilos)
- E eu? Estou muito mais gorda! ( Outra coisa que não entendi. Isso é pra ver quem tem a desgraça maior? É um show de " Mas e comigo"..." O meu é pior" e coisas assim)
- Que nada! Por falar em tamanho, sabia que o pênis do Ronaldo...

Interrompi minhas pesquisas aí. Tive medo de continuar. Tamanho???? Isso importa mesmo???


:: Postado por Nilo Maia às 23:18


Todo dia leio nos jornais alguma coisa sobre a disputa entre Globo e SBT. Também tive o prazer de rir muito com a nota publicada pela emissora do Seu Sílvio. Só ficou uma dúvida: Como é que eles fazem um texto tão engraçado e, ao mesmo tempo, conseguem transmitir algo tão podre como "A praça é nossa"?

Já que ninguém conseguiu me responder isso, decidi tirar minhas próprias conclusões. Movido por curiosidade antropológica, falta do que fazer ou simples preguiça de mudar de canal (tanto faz, vocês escolhem o motivo), fui conferir a tal "Casa dos Artistas" que passa no SBT.

Até que o programa não é ruim. Afinal, tem uma porção de mulher gostosa andando de biquíni, camiseta, baby doll e similares. É claro que o Alexandre Frota só de sunga o tempo todo atrapalha um pouco, mas não é nada que consiga estragar todo o resto. Sem contar que é sempre engraçado ver as conversas dele com o Supla.

- "Green hair, purple hair..."
- Supla...
- "Japa, japa girl..."
- SUPLA!
- "... in Brazil"
- PORRA, SUPLA!!!
- Ahn? Ah, sim, fala...
- Pô, bróder, eu tenho que contar contigo, eu tô com um plano pra ganhar das mulheres.
- Plano? Tudo bem, mas porquê você está de sunga? São 9 da noite...
- Esquece isso. Concentra no que eu tô dizendo. As mulheres tão divididas, elas não tem liderança. A gente tem que aumentar essa dissidência.
- Putz, nem suspeitava que você conseguia falar "dissidência".
- Pô, eu sou sinistro, quer ver? Inconstitucionalissimamente.
- Mas isso é com "ss" ou "c"?
- Nem sei. Bem, voltando ao plano...
- Duvido que você consiga falar "Três pratos de trigo para três tigres tristes" bem rápido.
- Três pratos de tigre para trigos e... Ah, esquece... ouve meu plano.
- Mas porquê você está de sunga? Está frio aqui, meu!
- Porra, supla, esquece a minha sunga! Vamos focar no plano pra ganhar o jogo.
- "Japa, japa girl..."
- Supla...
- "... in Brazil"
- SUPLA!!!

:: Postado por Felipe Jabá às 00:08


11.5.2022

Existe coisa mais chata que aqueles vendedores de roupa que te puxam pra dentro da loja e tentam te empurrar todas as tralhas da loja. Outro dia mesmo estava passando por uma vitrine quando um vendedor veio falar comigo:

- Opa! Tudo bem, você não quer entrar e dá uma olhadinha?
- Não só estou de passagem.
- Pô, entra ai! Tá tudo baratinho.
- Não, obrigado.
- Tem um colete roxo que combina perfeitamente com você.
- Não cara, eu estou apenas passando por aqui para ir à academia.
- Poxa entra ai! Tem uns bolinhos e refrigerante lá dentro.
- Não! Você não está me escutando, cara?
- Ah é? Hum... Mas você consegue fazer isto...
- Não, eu não consigo fazer malabarismo com as meias da vitrine.
- Então, vai entrar?
- Caralho! Você é surdo? Eu estou indo para a academia.
- Poxa, você é mesmo uma pessoa muito má. Estou aqui sendo gentil com você e só tomo patada.
- Mas...
- Eu sou uma pessoa que só quero o bem para os outros. Tentando trabalhar honestamente...(snif!) minha mãe é uma pessoa muito doente... (snif! snif!)
- Está bem, mas só uma olhada.

Depois de 2 horas sai de lá com duas calças jeans, três meias, um chaveirinho e é claro, aquele lindo colete roxo. Além de um tubinho de plástico vermelho que não sei o que é até hoje.

Malditos Vendedores!

:: Postado por Marcelo Holanda às 13:28


Outro dia, recebi uma carta de uma mulher. Quando peguei no correio aquele envelope, endereçado a mim e com um remetente mulher, pensei logo que era um trote de Antraz de algum dos vários inimigos editorias do Timelei...

Você sabe como é. Essas pequenas empresas tipo a Globo, o SBT ou o angu do Gomes, fazem um monte de merda pra falir com grandes conglomerados editorias como a Timelei Corp! Felizmente não era isso.

Na verdade, a carta era um comunicado de toda a comunidade feminina. Informava o meu rebaixamento pra segunda divisão dos homens:

Ilustre Claudio Formiga,

Viemos por meio desta informar o seu rebaixamento pra segunda divisão dos homens. Devido ao seu elevado número de foras e as suas ridículas cantadas, agora você está destinado a conseguir pegar 10 barangas pra poder voltar ao ROL da primeira divisão.

Aproveitamos a oportunidade para dar os parabéns pelo seu aniversário de 3 anos sem transar completados este mês!

Um abraço, e boa sorte nessa sua nova fase da vida.

P.S: Não mande carta resposta, porque não iremos abrir pois estamos esperando o nosso namorado que foi no banheiro.

Agora sou o Flamengo dos homens. Tenho que disputar a dificílima segunda divisão das cantadas. Competir com os pedreiros, lixeiros e velhos tarados de ônibus aquela baranguinha que desfila de saia justa rosa e top verde limão. Freqüentar gafieiras e talvez ter que traçar algumas coroas em bailes da terceira idade.

Assustado, fui pegar uns conselhos com o porteiro da minha faculdade, o Seu Caetano. Seu Caetano é um matador nato. Ele pulou direto da terceira divisão dos machos (aonde nego só dá idéia em mulher vesga e sem dente) pra Primeira divisão, traçando um monte de patricinhas da Zona Sul. Nem pra babá ele olha pra bunda mais.

- Cada pessoa tem seu caminho. O caminho é dirigido pela luz do saber. Você tem que achar de dentro do seu coração, a voz do Mundo. Quando você conseguir escutar a Voz do Mundo, O Mundo vai passar a escutar a sua Voz.

- Porra, Seu Caetano, não dá pra explicar isso melhor?

- Tudo é uma coisa, e uma coisa é tudo! Não reflita a luz da derrota, pois a vitória é a dádiva de quem trilha a estrada da esperança!

Odeio gurus. Eles sempre falam em metáforas. Depois que inventaram Paulo Coelho, parece que é onda nego falar que nem o YODA do Guerra nas Estrelas. Talvez seja isso que faltava nas minhas cantadas. Segui pra um forró pé de chinelo aqui perto de casa e mandei pra dragonete:

- Se paciência você não ter, Jedi você não ser! Quer ficar comigo?

1 mês depois recebi outra carta. Vesgas desdentadas, me aguardem!

:: Postado por Claudio Formiga às 01:12


11.4.2022

Adaíton Aristides não tinha família, não tinha nada. Apenas um bom emprego em uma banca lotérica. Porém, o que muita gente não sabe é que Adaílton tinha um terrível segredo. Ele era um psicopata, um estuprador.

Porém, não era feliz assim, não se sentia realizado. Na verdade, ele era um estuprador frustado. E a causa disso tudo era o fato de Aristides ser um estuprador gay passivo. Isto era um problema, nunca conseguia se dar bem em nenhuma de suas investidas.Logo que largava seu ofício lotérico, ele colocava seu orifício na loteria das ruas, se escondendo em uma esquina escura `a espera de sua presa-macho.

- Ei! Pssst!

"Hã? Quem tá aí?"

- Ahá, te peguei, vem cá , vem cá!!!!

" Que porra é essa? Pelo amor de Deus, eu sou pai de família, não faça isso comigo por favor!!!"

- Eu não vou fazer nada com você, muito pelo contrário, vem cá!!

" Como assim porra?? Pensei que você tava tentando me estuprar!"

- Me come!! Me come!! Me faz gritar as dezenas sorteadas da Mega Sena!! Seu vagabuuuunnndoooo!

" Ora, seu filho da puta doente!!"

[ socos, tapas e chutes ]

E assim seguia Adaílton Aristides, infeliz em sua vida psicótica e com algums hematomas a mais. E assim continuou nesta vida de desventuras, até que um dia resolveu entrar para o grupo de apoio dos Psicopatas Frustrados.

Moça: Agora quero que vocês se apresentem!

"Meu nome é Jorge, tenho 52 anos e tenho tara por meninos fantasiados de Pokemón."

"Meu nome é Felipe, tenho 22 anos e tenho vontade de estripar todos os profissionais de dinâmica de grupo."

E assim foi... Adaílton viu que não estava sozinho no Mundo. E conseguiu levar uma vida tranquila por umas 6 ou 7 horas...

E as semanas foram passando, e porradas ele ia levando até que um dia, quando estava voltando de seu trabalho diário, uma voz lhe chamou de dentro de um arbusto, uma voz feminina.

"Ei! Psiu! Venha cá um minutinho por favor?"

- Claro, qual o problema?

Então, assim que se aproximou do arbusto, foi imobilizado, e sobre ele estava uma loira, linda e peituda, com um pênis de couro preso entre as pernas.

"Agora querido, você será todo meu! E é bom você não resistir.."

- VAI! VAI! ME FAÇA FELIZ!!

Adaílton estava maravilhado, jamais poderia acreditar que existia e tão perto de onde morava, uma estupradora lésbica! Ela era linda e viril, a mulher de sua vida!

Duas horas depois, estavam os dois deitados dentro do arbusto. E enquanto puxavam um cigarro, começaram a conversar.

- Nossa, tenho que dizer que isso é inacreditável! Pena que não tenhamos nos encontrado antes.

"É mesmo, e olha que eu não acreditei quando você foi tão compreesivo e dócil, você foi a minha primeira vítima sabia?"

- Sério?! Por que?

"Poxa, sempre que eu tentava estuprar algum cara, eu era dominada e era eu que acabava sendo a estuprada. Homens são bem mais fortes, né?

- Pois é...sabe de uma coisa, eu tenho uma idéia, porque você não me ataca neste mesmo local todas as quintas e eu te ataco, o que você acha? Afinal, os interesses são os mesmos...

" Nossa, ótima idéia! Poxa, nem tenho palavras!"

Mas não eram preciso palavras, tudo que bastava era uma loira , um "membro" de couro e um animado Aristides passando pelo Cais do Porto pontualmente às 21 horas.

E assim, Silvia Babu e Adaílton Aristides viveram felizem para sempre, completamente realizados. Não mais teriam que passar as suas noites em claro, frustrados e tendo que escrever para um blog laranja.

:: Postado por Marcus Roriz às 18:19


11.3.2022

Dia nublado, falta de dinheiro, excesso de ócio. Por esses e muitos outros motivos mais estranhos, hoje seria um dia perfeito para ter uma crise existencial. No entanto, eu acho que fiquei imune à situações como essa. Por mais que tudo esteja desabando, não consigo mais ficar deprimido num canto e perguntando "Qual é o sentido da vida" ou "Porque nada dá certo".

O cinismo é a resposta. Na verdade, nem fui eu quem descobriu isso, a sabedoria máxima veio como uma revelação divina. Há alguns anos estava eu, depressivo, entregue às bebidas, ao chocolate e à minha boneca inflável, quando senti que ouvia uma voz tentando responder as perguntas. Era um som mágico que vinha de dentro da minha cabeça. Fiquei quieto para finalmente poder ouvir a derradeira resposta para todo o meu sofrimento.

- Jacaré no seco anda?

Depois de finalmente entender que nem a voz na minha cabeça me leva a sério, ficou mais fácil continuar nessa vida de loser. Aliás, você admitir isso para a sociedade é um passo muito importante, porque não há nada pior do que um perdedor enrustido, que fica gastando dinheiro comprando carros e mulheres para evitar o falatório da vizinhança.

Mas a voz me respondeu muito mais do que isso. Foram pelo menos 10 minutos de conversa, esclarecimento e iluminação.

- É bem simples. A vida funciona da seguinte forma: 50% dos acontecimentos de todo o seu dia serão bons e a outra metade será ruim. No entanto, veja bem, isso é totalmente aleatório, e pode calhar da parte boa ficar concentrada em coisas inúteis, como ganhar no par ou ímpar e no campeonato de pega-vareta. O problema é acontecer dos 50% ruins chegarem justamente nas horas impróprias, quando você está ocupado em um banheiro sem trinco na porta ou brincando de roleta russa com aquele 38 enferrujado.

Então, de uma vez por todas, descobri o meu lugar no mundo, a razão do meu viver e outras verdades imutáveis.

- Você não é diferente de ninguém, mas faz parte de um seleto grupo de pessoas. É quase como uma casta. Um tipo de gente que, em razão de uma estranha conjunção astral, tende a gastar os 50% bons de forma muito rápida. Por exemplo, hoje mesmo, na hora do café, sua torrada caiu no chão com o lado da manteiga para cima. Ou seja, em menos de 10 segundos você desafiou uma das maiores leis de Murphy. Agora agüenta, porque os 50% ruins são a única coisa que restaram para o seu dia. Desculpa, mas isso acontece. Shit happens...

Uma última pergunta ainda se fazia necessária. E se eu fosse o Brad Pitt?

- Veja bem, o Brad Pitt é a exceção na regra. Aliás, ele e todo mundo que é bonito e rico. Você sabe que sempre tem isso. Então, não se iluda de achar que, como você, ele vai topar com o dedinho mindinho no pé da mesa quando chegar em casa, porque isso não vai acontecer. Quem fica de pé inchado é pobre e feio. O Brad Pitt desvia graciosamente de qualquer obstáculo e se deita calmamente na cama com a Jeniffer Aniston. Sem contar que ela não reclama de cansaço ou se não sair para ficar assistindo "Friends" o dia todo.

:: Postado por Felipe Jabá às 12:55


11.2.2022


Como Ficar Rico Em Uma Fila

Tava pesquisando : como ficar rico rapidamente, através do trabalho. Vi que basta vender mate e sanduíche natural dentro das agências do Bradesco. O banco só não deixa você vender coisas lá, por medo de ter que melhorar o atendimento. Seria simples, bastava fazer igual aos engarrafamentos na Av. Brasil:

Olha o Mateee! Sanduííche Naturaaal!

Poderiam vender camisas também. Tava na fila desse banco, quando veio um cara exibindo orgulhosamente a camisa, escrito: Pré Universitário. Eu gargalhava na fila. Gostaria de comprar outra camisa para ele usar. Os outros olhavam para a minha cara sem entenderem nada!
Na boa, um universitário já é um fudido. Agora, um pré universitário?! E ainda abrindo conta no Bradesco? Eu há mais de uma hora lá para pagar uma conta, e ele ainda quer ser cliente do banco? Com certeza esse vai passar no vestibular...
Enquanto isso eu deveria estar lá:

Olha o Mateee! Sanduííche Naturaaal!

Pelo menos, não foi o pré universitário que saiu rindo, quando resolveu seu problema. Fiquei puto em ver a cara de satisfação dos clientes ao conseguirem pagar a conta. Eles tinham era que sair indignados com a lentidão do banco. A gente mofando na fila, e os caixas – três para cem pessoas – paquerando e tomando cafezinho.
Por isso tudo, quando vocês forem ao banco e verem alguém gritar:

Olha o Mateee! Sanduííche Naturaaal!

Saibam que sou eu, e que ainda serei muito rico com isso! Quem é mais mané, eu ou quem estava há mais de uma hora nessa fila?

:: Postado por Rodrigo Nobre às 01:13


11.1.2022

Teoricamente todos nós aqui do blog acreditamos em sexo à primeira vista. Na prática, isso funciona como quase tudo no mundo, obedecendo sem pestanejar as famosas Leis de Murphy (não, este Murphy não é aquele macaquinho que fazia "oh" quando você apertava a barriga dele).

Jovenildo também acreditava - teoricamente - em sexo à primeira vista. Um dia deu uma sorte danada e realmente partiu para a prática. Foi tudo meio rápido, encontrou uma mulher bonita na boate, trocou duas palavras e até teria falado algo como "na minha casa ou na sua" se as coisas fossem diferentes e ele ainda não morasse com os pais. O jeito foi caminhar até o motel mais próximo.

Após o término do primeiro tempo, o casal agora descansava olhando para o espelho no teto. O silêncio imperava no quarto. Jovenildo ficou um tanto incomodado e resolveu que tinha de fazer algo.

- Você gosta de comida japonesa?
- Não muito. Eu não curto peixe.
- E comida baiana?
- Também não...
- Também não gosta de jiló, né?
- Nem um pouco.
- Massas?
- Gosto.
- Pô, finalmente... Eu adoro aquele macarrão parafuso com molho de cogumelos.
- Hum, gosto de macarrão parafuso não. Mas adoro cogumelos.
- É cogumelos é bom. Pelo menos assim a gente já tem alguma coisa em comum.
- É verdade. Mas qual é o seu nome mesmo?
- Jovenildo.
- Putz! Jovenildo?! Eu dei para um Jovenildo...
- Que isso, podia ser pior, eu poderia me chamar Uashington.
- Nada, eu já dei para 2 caras chamados Uashington. Jovenildo é que eu nunca...
- Você falando assim até parece que Bernadete é um nome muito bonito...
- Bernadete? Mas eu me chamo Ana Maria!
- Ana Maria? Igual os bolinhos?
- É...

Jovenildo então entendeu porque devia ter ficado calado e finalmente disse algo útil.

- Você ainda tem alguma camisinha aí?

:: Postado por Felipe Jabá às 00:30