10.7.03

Toda vez que você quer comer algo legal, alguém vem e te sacaneia. Você acorda de madrugada, crente que vai encontrar uma sobra daquela Pudim do almoço, e nada. Algué já traçou. Você faz altos planos para cima daquela sua vizinha peituda e, pimba! Alguém cata ela antes de tu. Você vai até um McDonald´s gastar metade do seu salário em uma promoção do Cheder McMelt - afinal, ele foi criado no Brasil - e pow, alguém fez um papel de bandeja tão babaca que você nem consegue comer direito.

Bem, para não ter mais esses problemas eu crei essas novas bandejas do McDonald´s. Mais bonitas, mais práticas e mais babacas ainda. Não perca tempo, imprima já a sua e se defenda da inteligência rara dos escravos do palhaço Ronald.

Clique nas imagens para ampliar.



Era uma vez, mil histórias de uma vez!



Comidas e viadagens





:: Postado por Claudio Formiga às 03:09 :: Manda a sua melada!

9.7.03

O telefone toca.

- Alô.
- Hum... boa noite. É da casa do João Paulo?
- Porra Jabá, sou eu!
- Porra digo eu, Jotapê! Você atende o telefone com essa voz de viado e ainda quer que eu reconheça.
- Viado é o caralho, moleque. Eu tenho que estar preparado. Vai que é uma mulher ligando...

E essa é a mais pura verdade. Todos os homens, mesmo aqueles que nem se dão conta disso, possuem uma voz especial para falar com a mulherada.

Aliás, não só uma, mas pelo menos três vozes de naturezas e utilizações distintas:
. Um timbre normal, “default”, para as situações gerais do cotidiano.
. Outro específico para falar com a mãe.
. E um terceiro, cheio de malícia e biltragem, para a já citada mulherada.

Antes de continuarmos, preciso definir o real significado do termo “mulherada”. Neste caso (e em inúmeros outros) ele designa todos os seres humanos cientificamente comprovados como pertencentes ao gênero feminino que são passíveis de intercurso sexual.

Em resumo: qualquer mulher que seja, no mínimo, digna de um sexo à primeira vista.

E exatamente com elas que usamos nossa voz de pegador. Sim, é aquele timbre mais grave, pseudo-sensual e altamente cafona. Basta o assunto da conversa ser mulher, ou aparecer uma baranguinha levemente pegável por perto, que já começamos a caprichar na dicção e colocação da voz.

Tal qual um dublê cafona de Paulo Ricardo imitando o verdadeiro (e mais cafona ainda) Paulo Ricardo cantando “Olhar 43”, nós passamos a falar mais baixo, tanto em volume quanto em timbre, como se alguém fosse achar isso sensual ou discreto.

- Fala galera, e o chopp amanhã?
- Tá confirmado!
- Fechou!
- Pô... vocês já viram como a Janaína está gostosinha?
- Já! Maior peitão, rapaz...
- Só...
- E tua irmã, Juninho, como está?
- Bem, minha irmã...Ei! Ninguém fala da minha irmã com essa voz!!!
- Foi mal...
- Mal mesmo, Junim.

Curiosamente, a voz de falar com a figura materna é apenas uma variação da voz de pegação estilo “Paulo Ricardo”. As únicas diferenças são a falta de biltragem e segundas intenções que as mães geralmente não fazem questão de agüentar. Mas tome sempre muito cuidado para não confundir tudo, pois as diferenças podem ser sutis.

- Oi, mãe! Tudo bem?
- Filho, por acaso você está chegando em mim?!



:: Postado por Felipe Jab? às 16:31 :: Manda a sua melada!

Quem tem tv à cabo já deve ter lido aquelas sinopses dos filmes, mas vocês repararam como tem umas que em vez de empolgar o leitor a ver o filme, acaba se tornando uma grande piada. Em alguns casos a piada é o próprio filme. Vejam alguns exemplos:

Antes da chuva: Três histórias sobre a atual situação da Macedônia e seus habitantes. - "Realmente preciso saber como está a Macedônia, caso tenha que fugir do país, acusado por algum crime."

Descendo pelo ralo: Na Escócia, grupo de jovens desempregados planeja um esquema para roubar pias de um armazém e revendê-las. - "Imagina o roteirista vendendo a idéia pro produtor?
- O filme é sobre jovens que roubam pias.
- Maravilha! Vamos filmar amanhã!

Dia do golfinho: Um grupo de extrema direita tenta usar golfinhos especialmente treinados em um atentado contra o presidente dos EUA. - "Hauhuahuau, e o filme não é comédia. É drama."

Enfim, férias!: Três garotos se metem em confusões durante as férias de verão. - "Essa não é a sinopse de todos os filmes de jovens dos anos 80?"

O incrível barba amarela: Pirata sai da prisão à procura de seu tesouro, guiado pelo mapa tatuado na cabeça de seu filho intelectual. - "Ainda bem que o garoto é intelectual se não o mapa não ia caber na cabeça. Que tosco."

Na cabeça: Zelador de universidade usa a cabeça preservada de um aborígena para prever os resultados das corridas de cavalos. - "Sem comentários."

Cafetão americano: Uma visão de como funciona a prostituição nos EUA através de depoimentos de vários cafetões. - "Que horas vai passar esse filme? Estou muito interessado nesta área de trabalho."



:: Postado por Marcelo Holanda às 16:24 :: Manda a sua melada!


4.7.03

Ficar sem fazer nada de vez em quando é extremamente saudável. Alguns pensadores famosos chamam isso de "Ócio Criativo".

Como sempre, tem gente que exagera na quantidade de tempo passado no sofá, comendo biscoito e vendo TV. Isso se chama "vagabundagem" mesmo.

No entanto, existem ainda outros indivíduos mais bem dispostos, que preferem gastar todo o seu tempo livre de forma mais atlética. Estes praticam uma atividade que não traz resultado nenhum além de calos nas mãos e cegueira (bem, pelo menos é o que minha avó dizia).

A humanidade chama isso de "Ócio Masturbativo".

Clicando neste link AQUI, você poderá calcular a produção alcançada por sua pessoa em todos esses anos de ginástica localizada, vertical e repetitiva.

O único porém é que o site foi feito todo em inglês. Então para aqueles que a mães cheias de razão chamam de vagabundo, já era. Bem feito para quem ficou sentado no sofá, sem levantar a bunda para aprender um "íngrish" básico, lavar as mãos ou desgrudar as páginas da Playboy.

Bem, pelo menos hoje é o último dia de inscrição para a vaga de gari da Comlurb. Se correr ainda dá tempo. E aproveitem porque eles não pedem relatório de produtividade bruta, líquida e cremosa.

:: Postado por Felipe Jab? às 01:53 :: Manda a sua melada!

2.7.03

Alguém além do Zeca Camargo acompanha as super emoções da incrível investigação de “O Jogo”? Aliás, vocês já sabem quem matou a Família Klein?

O programa é uma bela merda. Mas já que gastaram um dinheiro fazendo isso, ficam tentando atrair algum inocente desavisado para assistir. Daqui a pouco vão começar a oferecer dez reais pela nossa atenção.

- Você que acompanha Ana Maria Braga todos os dias. Você que gostou de “Guerra do Sono”, “Barco do Amor” e “Acorrentados - A Revanche”, não pode perder “O Jogo”. O mistério é grande e quem descobrir ganhar super prêmios. Afinal, Zeca Camargo é fruta ou não?

O pior é que, mesmo que ninguém esteja ligando para o tamanho da mordida na fronha do Zeca Camargo ou para a identidade do assassino, no final vai ter um chato para dizer que já sabia do resultado.

- Viu? Eu sabia desde o começo que o “Bróder” era inocente. Eu te disse! Eu avisei!

Para vocês verem como chato que é chato de verdade sempre precisa manifestar sua opinião e, por conseqüência natural, incomodar alguém.

:: Postado por Felipe Jab? às 22:20 :: Manda a sua melada!

Grandes pensamentos da humanidade V




:: Postado por Claudio Formiga às 19:46 :: Manda a sua melada!