Timelei - Porque acreditamos em sexo à primeira vista!
Cheque especial é o ópio do povo.  
 • Destaques
 • Plantão
 • Top10
 • Imagens
 • Blog

  Guru:
 • Mahatma Melei


  Esportes:
 • Enfiando a Bola



 • Newsletter
 • Anuncie
 • Fale Conosco

 • Timelei em RSS




 



Ele é astrólogo, iridologista, terapeuta, hippie, pompoarista e filósofo. Exercendo esta última, criou o estilo de vida calcado no sexo à primeira vista e na crença da existência da perfeição na forma de uma sueca peituda. Mande sua dúvida para este visionário: [email protected]


 


26.04.04

É fogo


O desempregado José Antonio Andrade de Souza, que ateou fogo ao próprio corpo em frente ao Palácio do Planalto, não resistiu aos ferimentos e morreu.

José Antonio tentava chamar atenção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pretendia ser recebido por ele. Contando com o Zé Dirceu, esse é o segundo homem queimado pelo Governo Lula.




:: Permalink ::



16.04.04

Framengo de corpo e alma


Mahatma Melei também é sentimento. Coloca a mão e sente aqui.

Vendo pela televisão, até consegui simpatizar com a massa desdentada que "sorria" a cada drible de Felipe na primeira partida da decisão contra o Vasco. Essa estranha sensação no coração durou cerca de cinco segundos, tempo suficiente para lembrar o fedor que devia estar no meio daquela gente toda e me dar conta que o vazio no peito era apenas fome mesmo.

Já degustando um T-Bone Steak, voltei a pensar nos pobres e sua difícil existência. Concluí rapidamente que pobreza é tão somente um estado de espírito. Um estado de espírito que usa desodorante barato, anda apertado em ônibus, vive pendurado no crediário das Casas Bahia e acredita no poder da inveja. Este último fato, aliás, explicaria porque todo Chevette fabricado antes de 1986 que ainda não está descansando em paz em algum ferro-velho carrega um adesivo com dizeres do tipo "Tá amarrado, olho grande?".

O temor popular do nível de adiposidade do globo ocular alheio pode soar ridículo para nós, mentes esclarecidas que temos fé apenas no que podemos tocar, como dólares e apólices de seguros. Mas, para a grande camada de descamisados do Brasil, imaginar que alguém pode realmente cobiçar seus pertences é uma felicidade intensa. Então saibam, minhas pequenas ovelhas, que cada Comodoro, Caravan, Fiat 147, Brasília, Kombi e Fusca carregando um adesivo "A força da sua inveja é a medida do meu sucesso" representa um ser humano um pouco mais risonho. Apesar de ainda desdentado, devo acrescentar.

No entanto, é importante ressaltar que também podemos ter alegrias com os pobres mais tristonhos. Por exemplo, posso citar as três famílias que vivem de catar restos nos arredores da minha mansão no Rio de Janeiro. Mês passado, rebatizei meus dois pitbulls de estimação com os nomes "Olho" e "Grande". Agora, sempre que chego em casa, peço para o motorista abrir o portão da garagem e deixar os dois bichinhos soltos enquanto eu, sempre brincalhão, pergunto como se já não soubesse a resposta:

- "Tá amarrado, olho grande?"

Infelizmente os pobres estão mais espertos e começaram a estragar a brincadeira. Semana passada o "Grande" ficou com fome e o "Olho" trouxe apenas um naco de bunda.




:: Permalink ::



16.04.04

Reconhecimento


Enquanto homem iluminado e sábio, devo reconhecer quando alguém atinge um nível de malandragem digno de nota.

Estou falando de Ronaldinho, o fenômeno brasileiro que joga no futebol espanhol e tem conta bancária na Suíça. Esse rapaz transcendeu o nível humano de biltragem e está cada vez mais próximo do Nirvana. Só para dar um exemplo, lembro que enquanto alguns jogadores famosos se contentam em namorar uma modelo que foi capa da Playboy, Ronaldo faz uma modelo pouco famosa chegar na condição de estrela peladona da revista.

A única coisa que o boleiro ainda não conseguiu foi superar minha infindável sabedoria. Afinal, ele esqueceu de cobrar uma porcentagem do cachê da moça.




:: Permalink ::



16.04.04

Eu rico. Tu perguntas. Ele ri.


Mahatma Melei explica porque gente rica vive rindo.

Ricardo Mansur traçou metade das mulheres que freqüentam a Ilha de Caras e, mesmo se arriscando com a esfumaçada Luana Piovani, vive rindo. Luciano Huck e Alexandre Acciolly investiram pesado em um evento de música de pobre americano que quase foi para o brejo se juntar com as vaquinhas, mas ainda assim continuam rindo. Bush gastou zilhares de dólares para mandar um robô estúpido pousar em Marte e em nenhum momento parou de sorrir como um bocó. Se bem que, nesse último caso, mesmo pobre ele pareceria um bocó porque, afinal, ele é um bocó.

Agora vocês, minhas crianças queridas, devem estar se perguntando como rico consegue rir à toa.

Benevolente quando bem pago, normalmente não costumo responder questões tão simples assim sem receber ao menos uma sueca peituda em troca. Mas hoje estou feliz, o ano está apenas começando e é sempre divertido mostrar o tamanho do abismo que separa seres ricamente iluminados de vocês, meras ovelhas depauperadas perdidas em um mundo que não entendem.

A verdade suprema é que o dinheiro traz felicidade sim! Assim como também atrai fêmeas e espanta pobres. Ainda bem, pois não existe nada pior do que ter ralé por perto quando você está exercendo seu poderio monetário em uma carne de primeira, com ou sem silicone, de acordo com a preferência do freguês.

Vocês devem ficar longe, mas nem tanto. A graça de ser estupidamente rico é poder ver como suas pobre almas sofrem contando salários no fim do mês. Então digamos que a distância ideal seja cerca de 50 metros, onde ainda é possível notar no horizonte o brilho do meu cartão platinado e o estalar das notas altas.

Esse é o caminhar da humanidade, cada classe com a sua função. Eu, Ricardo Mansur, Luciano Huck e Alexandre Acciolly comemos e rimos enquanto vocês olham. Mas se você for gostosinha pode chegar mais perto que pensaremos em abrir uma exceção.


Pensamento iluminado

"Foda-se que eu tenho pinto pequeno. Eu sou rico!"

Luciano Huck (Apresentador e narigudo)




:: Permalink ::



16.04.04

Radicais Livres


Partido dos trabalhadores corta as gordurinhas indesejáveis.

Eu, na minha condição de sábio pensador, filósofo visionário e trambiqueiro incorrigível, felicito os integrantes do Diretório Nacional do PT pela expulsão da senadora Heloísa Helena (AL) e dos deputados João Batista, o Babá (PA), João Fontes (SE) e Luciana Genro (RS) de seu quadro de membros companheiros ativos sem língua presa.

A decisão do senador Mercadante foi genuína. Eu mesmo, enquanto guru-mor da religião do sexo à primeira vista, já expulsei várias secretárias da redação do Timelei por não seguirem a nossa crença cegamente, sem pudores ou inibições, de mãos amarradas e besuntadas a óleo.

Não tinha mais como Heloísa Helena, com H de homem, continuar no PT. Esse golpe de mulher rebelde, politizada, feia e com atitude ser "sexy" já foi tentado pela Princesa Leia em Star Wars e não colou. Além disso, sejamos sinceros, ninguém agüentaria ver a senadora Heloísa "Tonhão" Helena de biquíni dourado em uma refilmagem de Retorno de Jedi. A senadora Maria Sapatão ainda lembrou que "deu os melhores anos de sua vida ao partido, que a expulsou comodamente". Agora o diretório do PT quer descobrir quem comeu para, com benção dos deuses da justiça, punir esse pervertido míope sem amor pelo próprio instrumento de trabalho.

Nem as súplicas do senador e corno Eduardo Suplicy serviram para abrandar a punição da senadora Kate Mahoney. Mas, pensando bem, quem leva a sério um cara que realmente escuta os CDs do Supla e perde a mulher para um argentino?

Isso serve de lição para vocês, meus fiéis acólitos. Saibam que todo radical é um chato por natureza, toda mulher mal comida é um perigo em potencial e que a combinação desses fatores pode ser letal. É por essas e outras que o Presidente Lula vive viajando.




:: Permalink ::



16.04.04

Papa don´t die!


Mahatma faz votos pela saúde do pontífice.

A fragilidade da saúde do Papa João Paulo II durante sua visita à Eslováquia, encerrada no domingo, está suscitando questões sobre o acontecerá à Igreja se ele ficar incapacitado de cumprir suas funções. Inúmeras são as convocações que chegam a mim, exigindo que esse jovem guru ocupe o vácuo deixado pelo velhaco pontífice. O que seria uma inversão histórica na Igreja Católica Apostólica Romana, onde tradicionalmente são os padres velhacos que ocupam o vácuo dos infantes.

Recebo com muito orgulho tais convites e, com grande convicção, declino. É de conhecimento geral que prego o estilo de vida calcado no sexo à primeira vista onde a libertinagem e a libido são os arcabouços da evolução humana. Acreditar em sexo à primeira vista é zelar por uma vida luxuriosa e enfrentar noites nababescas com a cabeça-dura erguida. Tudo com muita ética, claro.

Sendo assim, eu nunca poderia aceitar o comando dos devassos católicos. Pessoas com fetiches estranhos de acordar cedo e dividir o mesmo ambiente com velhos tuberculosos e jovens impúberes e sonolentos. Isso seria a inumação de todas as minhas crenças e um desrespeito aos pedófilos convictos.

Agradeço de todo o meu coração os convites. Porém, eu não me enxergo lendo todos aqueles avisos paroquiais, fazendo sotaque engraçado e muito menos bebendo vinho de qualidade duvidosa pago por pessoas que rezam para que seus inimigos apodreçam no inferno. Que o Senhor esteja convosco, fiquem em paz e que o Senhor os acompanhe.




:: Permalink ::



16.04.04

Mahatma fala sobre a inveja dos mais jovens


A força da sua inveja é proporcional ao tamanho da minha ferramenta tântrica!

Acreditem, eu já fui jovem. A juventude é um berço de energia, dúvidas e hormônios que ninguém consegue compreender. Na puberdade você tem todo o potencial de comer quem você quiser, mas não sabe como. Em sua vida adulta você descobre como comer quem você quiser, mas não tem dinheiro para isso. E na velhice, após acumular todas as riquezas para comer quem você quer, você já não pode mais.

Eu sou rico, jovem, sábio e comedor. Portanto sou feliz. Sou requisitado por muitos pelos meus dotes intelectuais soberbos e pelas mulheres por conta dos meus encantos físicos demasiados. Sou uma ferramenta da luxúria, um utensílio lascivo, um instrumento precisamente afinado com o prazer, enfim, "I´m a sex machine".

Mas não gosto de me gabar. Não é do meu feitio ficar gastando horas da minha privilegiada existência contado sobre as mulheres que comi, os lugares que visitei, o dinheiro que ganhei e, principalmente, as surubas que pratiquei. Meu propósito aqui é somente um: perpetuar a ideologia do sexo á primeira vista.

Porém, como disse no começo, a juventude é um berço de energia, dúvidas e hormônios descontrolados. Muitos de meus fiéis acólitos não conseguem entender ou praticar o meu maior ensinamento apesar de tentarem de forma insistente. Deve ser porque são burros demais, ou porque são feios demais, ou porque são pobres demais, ou porque são burros, pobres e feios demais.

Para estes, eu só posso dar uma palavra de conforto e incentivo. Desistam! É mais fácil um rico passar pelo buraco da Cicarelli do que um pobre. Isso é fato. E não venham com o papo ignóbil de "Se ele conseguiu eu também consigo!". Não é qualquer um que nasce, como eu nasci, para ser um aparelho do amor, uma máquina de orgasmo, um objeto de libido, enfim, "a real sex machine".

Para ser assim, é necessário praticar a humildade.




:: Permalink ::



16.04.04

Desta vida não se leva nada?


Mahatma lembra que ninguém aceita cheques no Além. Mas dólar é outro papo.

Meus fiéis acólitos, muitos acham que dessa vida não se leva nada. Acreditam que os bens matérias são transitórios e sem valor e vivem na velha filosofia dos toxicômanos: "Do pó viemos e para o pó voltaremos". Crêem que existem vidas passadas e vidas futuras e inventam infernos na terra e embaixo dela assegurados aos pobres de espírito. Esses terão que pagar excesso de bagagem no "check in" celestial no dia do Juízo Final.

Iluminados somos nós que olhamos para isso tudo e enxergamos a enorme tolice dessas palavras. Afirmar que uma cobertura na Vieira Souto é um bem transitório sem valor é uma asneira paradoxal, já que todos nós sabemos que a citada cobertura é um dos imóveis mais caros do país. Bens transitórios são as Ferraris que fazem de zero a cem em poucos segundos, os jatinhos particulares e as secretárias de executivos, que transitam pelas camas de seus chefes acreditando na antiga lenda urbana que estes irão "montar um apartamento" para elas.

Bem aventurados somos nós, que sabemos que a perfeição existe para quem tem olhos para ver. Ela se revela de formas variadas, nas Cicarellis, nas Sheilas Carvalhos e Mellos, nas Vivianes Araujos ou nos seios da Cida Marques. Todo o resto é tolice.

Tenham fé em minhas palavras. É melhor estar entre os surubeiros a padecer em meio aos caseiros. Pense bem. Se da vida nós levamos apenas lembranças, quem terá as melhores estórias para contar no paraíso: Quem comeu a Penélope Cruz ou quem se alimentou de luz?




:: Permalink ::



16.04.04

Até os mestres têm dúvidas


Mahatma fica mal, mas não arrisca o pau!

Meus fiéis acólitos, peço que esvaziem a mente de problemas transitórios e pequenos como os preços que vivem subindo, a segurança que vive descendo e as suas respectivas mulheres, que vivem subindo e descendo. Agora todos se concentrem em uma questão muito mais grave e séria: o meu problema.

Como todos sabem, a minha vida de guru pompoarista não é fácil. Praticar sexo à primeira vista todos os dias no intuito de obter a sabedoria suprema, alcançar a luz superior e também transar como um coelho, me coloca na posição de contrair toda a sorte de doenças venéreas fatais, como a gonorréia, a sífilis, o casamento e a política.

Os médicos da OMS (Organização Mundial da Sacanagem), que possuem catalogadas milhares de doenças venéreas (e é por isso mesmo que eu nunca comi nenhum médico, só enfermeiras), vivem rindo da desgraça alheia. Enquanto a minha pessoa iluminada sofre e se transforma em apenas um alvo fácil nesse mundo promiscuo da sacanagem e da felação. Como comer uma Sabrina Sato sem contrair uma super pneumonia? Como comer a Daniella Cicarelli sem contrair uma Kaiser? E, nessa minha idade avançada, não dá mais para comer um Camila Pitanga sem ficar com azia.

É por isso que muitas vezes eu dou preferência ao produto importado. Prefiro continuar traçando as minhas duas inocentes loiras suecas e peitudas de 19 anos, Marikje e Jocasta, do que ficar colocando o meu pau nessa roleta russa sexual brasileira. Um país que permite qualquer seqüestradora adiposa de segunda categoria, como essa Vilma, ser dona de um puteiro não pode ser levado a sério. Eu sei que muitas brasileiras vão chorar, mas prefiro ficar mal com elas a arriscar em meter o meu transcendente membro em uma xana tupiniquim.

Se bem que pela Cicarelli eu bebo até Schincariol!




:: Permalink ::



16.04.04

Querer é poder!


Você pergunta e Mahatma Melei responde. Se ele estiver afim, claro...

Eu, Mahatma Melei, já naturalmente muito requisitado, em tempos de guerra como os de agora fico com a agenda cheia. São milhares de almas atormentadas buscando a luz dos meus ensinamentos, o conforto da sapiência dos ancestrais e o telefone da Daniela Ciccareli.

O celular dela eu não libero de forma alguma, até porque deu um trabalho enorme para roubar, mas posso responder a pergunta que aflige 99,73% dos fiéis que me procuram.

- Por que Bush atacou o Iraque?

Simples. Porque sim. Porque ele pode. Porque deu vontade. Enfim, qualquer uma dessas serve para iluminar com esclarecimento a vossa humilde ignorância.

Eu sei que algumas vezes é difícil, mas tentem seguir meu raciocínio: se você estivesse comendo a Luana Piovanni, contaria para os seus amigos? Lógico que sim! É inconcebível traçar uma mulher dessas e não zombar da barangagem alheia.

Perceberam que o mesmo pensamento também é aplicável no caso do Bush? Pois é, de nada vale ser a maior potência mundial se você não puder explodir uma nação escrota quando bem entender. Quem possui um imenso arsenal nuclear, milhares de bombas inteligentes e mais uma porção de soldados, acaba tendo que usar de vez em quando.

Por que? Porque sim. Porque você pode. A bomba nuclear e a Luana Piovanni são suas, ninguém tem nada a ver com isso. Como bem resumiu o sábio Confúcio: "Peru de fora não dá peruada".

Volta e meia eu também gosto de exercer meu poder de presidente da Timelei Corporation sem motivo aparente. Demito alguém, assedio sexualmente uma estagiária gostosa ou, melhor ainda, coloco um trabalhador no olho da rua enquanto investigo profundamente o terceiro olho da secretária peituda.

Depois sempre surge um infeliz para reclamar que tem dois filhos para criar e outras ladainhas similares. "Por que? Por que você fez isso, Sr. Mahatma?".

Porque sim. Porque eu posso. Porque deu vontade, oras.




:: Permalink ::



16.04.04

A arte de ser quase importante


O vice é um cara muito importante. Quer dizer, quase importante.

Ser vice de alguém é algo muito estranho. A pessoa tem de aparecer, mas sempre tendo o cuidado para não roubar a cena. Tem de ser respeitável e carismática, mas nem tanto. Precisa ser marcante, mas não inesquecível. Vice é aquele cara que é quase alguém. Na verdade, ele é o quase alguém, o verdadeiro especialista na arte de ficar em segundo.

Segundo na hora de escolher o bife na janta, segundo a usar o banheiro, segundo a ficar com a garota mais "falada" da escola. A arte de ser vice é aprendida desde pequeno. O menino que almeja o quase estrelato precisa se esforçar para tanto. Sentar na segunda fileira da classe e tirar o máximo de notas nove possível já é um bom começo. Barrichello começou assim e hoje é um espetáculo: corre com uma Ferrari de segunda mão e, de tanto se esforçar para ser um bom vice, acaba chegando quase sempre em terceiro.

Mas quem acha que ser vice é fácil está muito enganado. A responsabilidade de carregar os maiores fardos está nos ombros do titular, porém o reserva é mais necessário do que se pensa. Se não fosse o segundão lá, sempre alerta, esquentando a cadeira e fazendo as tarefas chatas que o chefe não tem paciência de cumprir, os trabalhos não andariam. O que seria de um presidente sem o prestativo vice, para avisá-lo quando sua esposa se aproxima do Salão Oval e a estagiária está com a boca na rima?

Marco Maciel, o vice-presidente brasileiro, é um exemplo magnífico da arte de estar sempre um passo atrás. Seu corpo é biologicamente ajustado à função de aparecer-mas-nem-tanto. De frente, sua presença é memorável. Mas se ficar de lado, Marco Maciel é quase invisível. Ele é disparado o melhor homem que temos para o cargo.

Eu, Mahatma Melei, também tenho um vice. Considero seu papel muito importante. Imprescindível, para falar a verdade. Porque, como todos sabem, se algo de errado acontecer em alguma das minhas negociatas, quem vai para a cadeia não sou eu.




:: Permalink ::